• DirtAction

Honda CRF 250R 2020 - Teste


Fotos Idário Café


Em 2017, a Honda renovou completamente a CRF 450R, do visual ao motor, que acabou se tornando um dos mais fortes da categoria e na temporada passada garantiu o título mundial com o piloto Tim Gajser, além do brasileiro de motocross nas categorias MX1 e MXElite com Jetro Salazar.

Faltava renovar a “pequena” 250R. Em 2019, a Honda decidiu investir no modelo, tendo como plataforma a 450R. O visual, por exemplo, é o mesmo da 450, mas manteve as particularidades do modelo, como o sistema de escapamento com duas curvas, uma para cada silencioso. Mas a fábrica surpreendeu o mercado ao oferecer outro grande atributo para os modelos off-road, a partida elétrica. Assim, a Honda CRF 250R se tornou a primeira motocicleta japonesa a oferecer originalmente esse acessório nas 250 cc. E o motor? Sim, ele foi trabalhado para torná-lo mais forte e acabar com aquela imagem de manso. Para isso, a fábrica substituiu o comando de válvulas único (Unicam) pelo duplo, apesar da 450R manter o primeiro.


Claro que o modelo 2020 não iria apresentar grandes mudanças, mesmo assim a Honda promoveu renovações em busca de melhor performance, como o novo perfil do comando de válvulas, que reduziu o “overlap” e resultou em melhor torque e potência entre 6.000 e 10.000 rpm; otimização da ignição; revisão do sistema de escapamento; sensor de marcha, que permite mapa de ignição específico para cada marcha; e novo elemento do filtro de ar, 10% maior, para melhor fluxo de ar. Tudo em busca de mais velocidade.


No Brasil, a Honda conquistou com este modelo o título da categoria AX2 no campeonato nacional Arena Cross.

Quanto à sua comercialização, seguindo o trabalho realizado no ano anterior, a Honda disponibilizou sua linha off-road quase que simultaneamente ao lançamento internacional. E o melhor: manteve praticamente os mesmos preços das versões anteriores, apesar da elevação do câmbio ocorrido no período.

Partida elétrica


Recentemente nós tivemos a oportunidade de testar a CRF 250R 2020, através do nosso parceiro Motofield, concessionária Honda do amigo Henrique Nagao. E numa quarta-feira de tempo nublado, partimos para o centro de treinamento ASW Off Road Park, na cidade paulista de Mogi das Cruzes, que tem se tornando nossa pista oficial de testes.

Para acelerar a novidade, contamos com o talento do tricampeão paulista de motocross e preparador do setor Philemon “Filé” Vareda, que depois de passar o dia todo acelerando a nova CRF 250R, deu seu depoimento sobre o desempenho desse modelo. Confira suas impressões:

COMPORTAMENTO - Visualmente, não tem o que dizer, a Honda sempre teve bom gosto no design. As linhas são modernas e agressivas. O tanque de combustível construído em titânio deixou a moto com um ar de fábrica (HRC). A minha preferência é apenas um silencioso; o Filé gosta do sistema duplo, que deixa o visual mais agressivo. Gosto não se discute. Vale pontuar que o grafismo é injetado diretamente nos plásticos. Já o posicionamento é praticamente o mesmo da versão anterior, confortável e deixando você bem à frente, ideal para uma pilotagem mais agressiva.


A partida elétrica é uma grande vantagem e o “botãozinho” faz sucesso. O mapeamento eletrônico é outro grande atributo do modelo, permitindo mudar o comportamento da motocicleta sem precisar parar. Lembramos que há três modos, selecionados no interruptor fixado no lado esquerdo do guidão. A confirmação é através do LED (uma piscada para o modo 1, duas para o 2 e três para o 3). Possui também controle de tração, aumentando as opções ao ser utilizado em conjunto com o modo de potência.


O motor se mostrou competente e forte, principalmente de média para alta, onde as rotações sobem rapidamente. Ou seja, o objetivo da Honda foi alcançado, pois não se trata mais daquele motor manso dos modelos anteriores a 2019. Em compensação, a baixa ficou devendo um pouco. Você precisa manter em alta rotação para não perder força. Essa situação diminuiu um pouco em outros modos de pilotagem, mas ainda assim as respostas poderiam ser mais rápidas em baixa. As mudanças de marcha não são tão suaves e não foram precisas em algumas oportunidades. Mas com o tempo você acaba se acostumando com o seu comportamento.

As suspensões são eficientes, firmes e bem sensíveis, oferecendo muita tração e controle. O conjunto copia bem os pequenos e grandes obstáculos, e mesmo ao varar um salto, ela se manteve firme, passando muita confiança. A mesma performance nós encontramos no sistema de freios. Ambos são eficientes e melhoraram bem se comparado com os modelos anteriores a 2019, que ofereciam funcionamento inferior e exigiam maior força nos comandos.

A dirigibilidade é outro grande atributo das motos da Honda, além de permitirem muita mobilidade. A marca tem construído motocicletas bem ágeis há muitos anos, e a nova CRF 250R não é diferente. Ela é leve e fácil de conduzir, permitindo realizar curvas rápidas, mesmo as fechadas. Saltar com ela é também muito fácil. Leve e bem maneável, você vai se divertir com ela. Apenas a frente se mostrou um pouco “solta” e em algumas oportunidades apresentou pequenos “headshakes”, exigindo ajuste do amortecedor de direção.

Resumindo, a Honda CRF 250R 2020 manteve as qualidades da versão anterior e os refinamentos tornaram o modelo mais eficiente. Faltou colocá-la frente a frente com algum modelo concorrente, para descobrir se as mudanças da marca tornaram realmente o modelo mais rápido. Mas isso vamos deixar para outra oportunidade. Vale lembrar que ela já está sendo comercializada pela rede de concessionárias da marca com o preço público sugerido (base São Paulo) de R$ 41.402. Se convertermos para o dólar atual, o preço é praticamente o mesmo nos Estados Unidos. Então, aproveite o momento e a disponibilidade e corra até uma concessionária da marca para adquirir essa incrível motocicleta.

Confira no vídeo abaixo um resumo desse teste.


ESPECIFICAÇÕES

Motor Monocilíndrico, 4T, arrefecimento líquido

Cilindrada 249cc

Alimentação Injeão eletrônica PGM-FI

Transmissão 5 velocidades

Chassi Semi berço duplo

Suspensão dianteira Garfo telescópico Showa invertido curso 305mm

Suspensão traseira Amortecedor Showa sistema Pro-Link, curso 317mm

Freio dianteira Disco simples de 260mm

Freio traseiro Disco simples de 240mm

Tanque de combustível 8 litros

Peso seco 103kg

Preço R$ 42.214,00




REVISTA DIRT ACTION

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram