• Fotos Idário Café

KTM 450 SX-F 2020 - Teste


A indústria de motos off-road talvez seja uma das que, com maior rapidez, traz com para as mãos dos consumidores finais o que há de mais moderno testado nas equipes de fábrica. A melhor prova disso é a austríaca KTM, que a cada geração da sua linha aproxima-se muito às motos dos principais nomes da modalidade. É verdade que algumas coisas levam mais tempo para chegar nas motos de série, mas em geral, o que vemos numa temporada, no ano seguinte já está lá, acessível a qualquer comprador que tiver disposição financeira. Parece que, a cada ano, a expectativa dos pilotos é que as motos venham com grandes e surpreendentes mudanças na nova versão, mas na contramão deste anseio, a KTM 450 SX-F não trouxe mudanças que roubassem manchetes. Mas, segundo alguns especialistas, as pequenas mudanças feitas podem definir 2020 como o ano de supremacia da marca laranja. Será que veremos isso mesmo? Ainda é bem cedo para qualquer aposta, mas podemos afirmar que, ainda que mínimas, as mudanças são tão efetivas que de fato podem levar os amantes do esporte a refletir quais resultados elas podem ter nas mãos dos pilotos profissionais. Mas o que a KTM mudou nesta moto para que ficasse ainda melhor do que nos anos anteriores? Vamos começar falando de algo que dita o ritmo: o motor! Talvez a principal coisa a se destacar é o novo pistão CP, projetado para ter maior durabilidade e oferecer poder de rotação melhor que em 2019. Apesar da mudança no pistão, o mapeamento da EFI ficou inalterado no mapa 1. Mas o mapa 2 parece ser mais agressivo e mais poderoso em geral do que na versão anterior. A KTM divulga que o motor gera 63 cv de potência.

Em um esforço para obter um pouco mais de potência e melhor resposta do acelerador, a fabricante austríaca incluiu nova tampa da caixa de ar, com maior ventilação, graças aos furos que permitem maior fluxo de ar. Essa tampa é opcional, já que a moto vem com uma totalmente fechada no seu kit original. O filtro de ar pode ser acessado sem ferramentas, para manutenção rápida.

Outra mudança que está diretamente relacionada ao despejo de potência ocorreu na relação final, já que a coroa passou a ter 49 dentes (antes eram 48). Claro que isso vai depender muito do tipo de terreno ou pista que estiver sendo usado. Vale lembrar a mudança no acelerador. Ela vem com duas opções de curso, que pode ser alterado com a troca do dispositivo que prende o cabo no manete. O de cor cinza permite um curso mais rápida, e standard, de cor preta, apresenta resposta mais lenta, mas sem perda de eficiência. Além das mudanças nos mapas, houve melhoria expressiva na suspensão. Tanto as bengalas quanto o amortecedor traseiro são WP XACT. Em 2019, eles vinham apenas na 450 SX-F Factory Edition. No entanto, eles foram atualizados com válvulas diferentes. Um pistão de velocidade média foi instalado no interior da bengala, fabricada com tolerâncias ainda mais rigorosas. O funcionamento da suspensão foi sensivelmente melhorado, principalmente no movimento inicial. O sistema dianteiro, AER, continua a ar, e vem de fábrica com itens para calibragem, como bomba de ar. Outro item importante que contribui muito na ciclística desta versão 2020 é o peso total da moto, anunciado em 100 kg (peso seco), o que faz diferença para suas concorrentes. No chassi, a KTM manteve a receita que vem dando certo, um berço duplo de aço cromo-molibdênio, leve e de alta tecnologia, com rigidez otimizada, que oferece uma excelente mistura de rigidez e flexibilidade. O braço oscilante de alumínio fundido (peça única) possui um longo slot no eixo traseiro, para maior capacidade de ajuste, além de oferecer melhor estabilidade em linha reta. Os freios continuam sendo da marca Brembo, que trabalham em conjunto com os discos da marca Galfer. Outro item interessante que chama a atenção são as pedaleiras "No Dirt" da KTM, cujo desenho evita o acúmulo de lama, garantindo que os pés estejam sempre na posição correta. Elas são 6 mm mais altas do que as da versão 2019.

Comportamento – Novamente contamos com a colaboração do tricampeão paulista de motocross, Philemon “Filé” Vareda, para acelerar a nova versão da KTM 450cc. “Ela passa a impressão de ser mais estreita e leve tornando a pilotagem mais fácil e atendendo todos os níveis de pilotagem. O posicionamento é perfeito, você fica bem à frente e possibilita muito movimento sobre a motocicleta. Devo pontuar a sua grande agilidade, com muita facilidade você colocada a nova KTM 450 SX-F onde quer, permitindo realizar curvas mais agressivas e com muita perfeição. Nos saltos você vai se divertir, ela passa a impressão de ser uma motocicleta pequena e compacta e bem leve, passando muita confiança na pilotagem nesse obstáculo. Outro item que gostei foi o posicionamento das pedaleiras, ficadas em uma posição positiva que obriga você a pilotar com as pernas “coladas” nas aletas e no chassi, contribuindo e melhorando a pilotagem, dando mais confiança e agressividade, sem a necessidade de substituí-las por modelos especiais. Mas esta é uma característica das motocicletas KTM, que apresentam peças e acessórios próximos de um modelo oficial, como o sistema de embreagem hidráulico, controle de tração regulável e os mapas eletrônicos.

O comportamento do motor me impressionou, a entrega de potencia é de forma bem linear e progressivo, e ao mesmo tempo é forte, não deixando nada a desejar. Você vai sentir toda o seu poder ao acionar o acelerador, mas como disse, sem susto, permitindo uma pilotagem mais agressiva para aqueles pilotos mais experientes. Realmente ele tem um comportamento ideal para qualquer nível de pilotagem. A KTM manteve o sistema a ar para a suspensão, e apesar de muitos criticarem e darem preferência para o sistema convencional, no caso da KTM ela se mostrou bem eficiente, copiando bem as imperfeições da pista, e os saltos, mesmo quando você ultrapassa a recepção. Foi outro item que me chamou a atenção e acredito que diferente de outros modelos que tiveram esse sistema, não há necessidade de substituir por sistema convencional (com mola). Quanto ao sistema de freio, novamente gostei do funcionamento. Ela vem com as pinças da marca Brembo e conduites especiais (erokips) que oferecem muita eficiência nas frenagens, permitindo uma pilotagem mais agressiva e segura. Você vai poder retardar as frenagens nas entradas de curvas, melhorando sua pilotagem e diminuindo o tempo de volta.

Resumindo, a KTM se mostrou bem eficiente, com grande funcionabilidade e desempenho. Nota-se que apesar de se tratar de uma motocicleta original, ela apresenta um comportamento perto de um modelo oficial, com muita agilidade, leveza, força e segurança. Como disse, é um modelo que apesar de ser uma 450cc, passa a impressão de uma motocicleta de menor cilindrada, oferecendo confiança a pilotos iniciantes e intermediários. A KTM acertou na construção dessa motocicleta, com certeza você vai se sentir um verdadeiro piloto de motocross com a 450 SX-F. Como podemos perceber, as mudanças ou evolução da versão 2020, não foram tão grandes assim, mas foram cruciais em pontos que podem fazer total diferença nos resultados dos principais pilotos. No Brasil, a versão 2020 ainda está chegando para o público geral, e a marca, que tem nova gestão, garante que diversas unidades estarão disponíveis. Claro que todas as tecnologias envolvidas elevam o preço desta moto. O preço público sugerido para o mercado nacional é R$ 59.990. Agora é esperar as competições começarem e ver o quanto essas poucas e importantes mudanças farão a diferença nos resultados. ESPECIFICAÇÕES Motor: monocilíndrico, 4V, OHC, refrigeração líquida Cilindrada: 449,9 cc Alimentação: injeção eletrônica Transmissão: 4 velocidades Chassi: em aço cromo-molibdênio, tipo berço duplo Suspensão dianteira: WP XACT AER, invertida, 48 mm de diâmetro, 310 mm de curso Suspensão traseira: WP XACT, com link, 300 mm de curso Freio dianteiro: disco, 260 mm de diâmetro, pinça Brembo Freio traseiro: disco, 220 mm de diâmetro, pinça Brembo Tanque: 7 L Peso (seco): 100 kg


REVISTA DIRT ACTION

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram