• DirtAction

Race Test - KTM 450 SX-F 2021


Fotos Celestino Flaire Jr.

Com incrível presença nos maiores campeonatos do planeta, o Mundial e o Americano de Motocross (e Supercross), a KTM tem colecionado inúmeros títulos, graças a seus talentosos pilotos e profissionais de ponta em suas equipes, e também porque possuem motocicletas rápidas, de grande desempenho. Com planejamento e desenvolvimento que chegam a dar inveja, a fábrica austríaca tem dominado esses campeonatos durante muitos anos. Os investimentos são altos, tanto na montagem de suas equipes como na evolução das suas motocicletas, tudo para manter o slogan "Ready to Race" sempre vivo.


Suas motocicletas seguiram evoluindo a cada ano, e ofereceram atributos até então encontrados somente nos modelos de fábrica. Suas motocicletas originais passaram a apresentar itens “racing” como mapeamento eletrônico, controle de tração, embreagem hidráulica, controle de largada eletrônico e outros. Tal atitude foi seguida pelas marcas concorrentes, que passaram a introduzirem seus modelos o mapeamento eletrônico, embreagem hidráulica e partida elétrica, por exemplo. Podemos até dizer que as motocicletas KTM passaram a ser referência no mercado, apesar de manter um dos itens mais “vintage” do setor, o chassi de aço cromo-molibdênio, enquanto as concorrentes utilizam o alumínio há anos.


Os modelos 2021 da KTM receberam alterações que aprimoraram a fórmula vencedora da empresa austríaca. Os novos modelos com certeza continuam oferecendo grande desempenho e fácil manuseio, graças aos anos de desenvolvimento aliados às atualizações incorporadas. Os modelos apresentam motores extremamente compactos, com potência incomparável e entregue de maneira bem eficaz. A ciclística dos modelos é considerada uma das mais eficientes, que aliada a conjuntos leves (talvez sejam os modelos mais leves do mercado), tornam as motocicletas ágeis, controláveis e fáceis de pilotar, podendo ser pilotadas por qualquer nível de piloto. E elas têm vencido muitos comparativos na imprensa internacional.


Para esta edição, tivemos a oportunidade de acelerar um dos modelos mais vencedores da história da KTM, a 450 SX-F. O visual dos plásticos foi mantido, somente cores e gráfico mudaram. Apesar da aparência similar, a KTM promoveu mudanças na sua 450 2021.


O sistema de suspensão desta motocicleta é composto por um garfo WP XACT, com tecnologia AER, a ar, e amortecedor traseiro WP XACT. O garfo de 48 mm de diâmetro parece ser o mesmo do modelo anterior, mas a fábrica informa que ele é totalmente novo internamente, com muitos refinamentos na busca de um funcionamento mais preciso e suave. O amortecedor também recebeu refinamentos importantes para uma configuração ligeiramente mais firme e promover maior tração.



Apesar de manter praticamente o motor de 2020, monocilíndrico, 4V, SOHC (único comando), 449,9 cilindradas, injeçnao eletrônica corpo 44 mm, 4 marchas, a nova versão apresenta novo mapeamento, com melhor resposta em baixa. Os dois mapas podem ser combinados com o controle de tração (TC), gerando ao todo quatro opções de desempenho. Aliás, a KTM anuncia que seu motor gera incomparáveis 63 cavalos!




O chassi é construído com tubos de aço cromo-molibdênio hidroformados e recebem soldagem robótica para garantir os mais altos níveis de qualidade, com rigidez equilibrada. Em conjunto com a suspensão, proporciona grande agilidade e também estabilidade em altas velocidades. O sub-chassi é em alumínio.



Outro diferencial dessa motocicleta é a caixa do filtro de ar, que segundo a fábrica garante um fluxo de ar dinâmico, proporcionando potência máxima e respostas rápidas do acelerador, além de maior proteção contra sujeira no filtro. Lembramos que o acesso a ele, através do number plate lateral esquerdo, é rápido e fácil e não requer ferramentas.



Modelos da KTM apresentam peças “factory”, como sistema de freios da Brembo – é da mesma marca o sistema hidráulico da embreagem – protetores plásticos no chassi, filtro de ar da Twin Air, mesas e cubos da roda usinados em CNC, capa de banco com tiras de silicone (para maior grip), espaçadores de roda que podem receber diferentes tamanhos de eixo e guia de corrente durável, entre outros.


A grande missão da nova KTM 450 SX-F é manter a fama de ser a motocicleta mais rápida e ágil na pista, e para saber se esse objetivo foi alcançado, somente colocando esta novidade no seu habitat natural. E em um sábado ensolarado, encontramos o ex-piloto profissional Pedro Lopes na pista ASW Off Road Park. Enquanto o nosso colaborador vestia os equipamentos, aproveitei para fotografar a moto, e novamente me impressionei com a aparência das motos da KTM, com suas linhas diferentes e harmoniosas que acabam inspirando suas concorrentes. Mas vamos ao que interessa, acelerar a nova versão.


COMPORTAMENTO - "Foi o meu primeiro contato com a KTM e posso dizer que foi a primeira impressão foi muito boa. Ela apresenta um posicionamento ideal para uma pilotagem racing, mantendo você bem na frente da motocicleta. Fiquei surpreso com o seu comportamento, com o peso da motocicleta e com a facilidade que entra nas curvas. Ela é muito ágil e leve, você coloca a motocicleta onde quer. Possui grande maneabilidade e permite realizar curvas em velocidade.



Quanto ao motor, testei primeiro o mapa 1 e depois o 2. Mas fiz a terceira bateria de treinos com o mapa 1, que achei ser melhor para mim. Ele fica bastante elástico nesse mapa, bem fácil de pilotar, enquanto no mapa 2 o motor tem comportamento bem agressivo, a moto fica bem mais explosiva principalmente em baixa e média rotações. Este modelo é uma versão europeia e, portanto, apresenta câmbio de quatro marchas. Foi minha primeira vez com essa especificação. E com o motor mostrando-se elástico, numa pista como a ASW Off Road Park você pode treinar somente na terceira marcha. Mesmo nas curvas fechadas, basta vir mais embalado para fazê-la em terceira marcha.


Achei que o motor casou bem com marchas longas. Mesmo utilizando o mapa 2, onde o motor fica mais potente na baixa, você consegue andar mais solto, pois uma curva que faria em segunda, nesse mapa você pode fazer em terceira marcha. Resumindo, você vai cambiar bem menos tendo 4 marchas, e vai se adaptar facilmente.



Vale destacar também a embreagem hidráulica, que funciona muito bem, é bem macio e não apresentou nenhum desgaste durante os treinos, minimizando o desgaste dos braços e permitindo alongar os treinos.


Outra grata surpresa foi a suspensão. No primeiro treino, a dianteira estava bem firme, afinal de contas foram as primeiras voltas com uma motocicleta zero. Já para o segundo treino, busquei melhorar o funcionamento, deixar mais macia, reduzindo um pouco a pressão do ar e regulando os cliques. Percebi que ela é muito sensível aos cliques e à pressão de ar, tanto que iniciei os treinos com 10,8 bar e no final calibrei com 10 bar, e ela se mostrou bem mais macia. A regulagem dos cliques e ajustar a pressão fizeram muita diferença na condução. A dianteira passou a copiar bem os buracos da pista e em nenhum momento deu final de curso.


Já a traseira me impressionou bastante, deixando a motocicleta muito colada no chão, oferecendo muita tração, isso sem mexer no controle de tração. Realmente a traseira se mostrou muito firme no chão, copiando bem os buracos e com ótima recepção nos saltos. O conjunto passa muita segurança na condução e permite uma pilotagem agressiva.


Quanto aos freios, sem palavras. O sistema da Brembo é muito bom, muito eficiente, permitindo retardar as frenagens.

Resumindo, a motocicleta entrega realmente o que a marca informa: uma condução muito fácil e segura, suspensão e freios eficientes e motor poderoso mas na mão, com entrega suave e progressiva", finalizou Pedrinho.


Em um segmento tão competitivo como a categoria 450, a KTM 450 SX-F tem muito a seu favor. A máquina austríaca é a mais leve da categoria e apresenta freios potentes, uma excelente embreagem, suspensão que oferece performance e estabilidade e motor com respostas lineares. Mas num mercado como o brasileiro, com altos impostos e uma economia oscilante, o preço dessa motocicleta pode também impressionar: R$ 74.990. Ou seja, ela custa bem mais do que as suas concorrentes, já que a Honda CRF 450R e a Kawasaki KX450 são comercializadas por R$ 53.000, aproximadamente. Mas com certeza não faltam compradores dispostos a investir alto para ter uma KTM 450 SX-F nas mãos.


ESPECIFICAÇÕES

Motor: monocilíndrico, 4V, SOHC, refrigeração líquida

Cilindrada: 449,9 cc

Alimentação: injeção eletrônica, corpo de 44 mm

Transmissão: 4 velocidades

Suspensão dianteira: WP XACT, invertida, 48 mm de diâmetro, 310 mm de curso

Suspensão traseira: WP XACT, 300 mm de curso

Freio dianteiro: disco, 260 mm de diâmetro

Freio traseiro: disco, 220 mm de diâmetro

Tanque: 7 L

Peso (total): 100 kg (s/ combustível)


Posts recentes

Ver tudo