top of page

Entrevista - Carlinhos Romagnolli



Depois da temporada do Arena Cross, a empresa realizou outro grandioso evento do esporte nacional, o Arena FMX Show, válido pelo Campeonato Brasileiro de Freestyle, com outra grande final no Rio de Janeiro. Dessa forma, não poderíamos iniciar a temporada sem conversar com o responsável por esses eventos, Carlos Romagnolli. Ele e sua equipe oferecem aos participantes, patrocinadores e público as emoções do esporte fora de estrada há mais de 30 anos.


DA – A temporada 2023 foi marcada pelo sucesso do Arena Cross e Arena FMX. Como avalia esses campeonatos?

CARLINHOS – Foi uma temporada maravilhosa, entregamos todas as etapas do Arena Cross com muita qualidade, arquibancadas lotadas, estrutura  de qualidade, pistas técnicas e transmissões ao vivo pela SporTV e Arena Live Brasil (nosso canal no YouTube). Chegamos a quase 40 milhões de retorno de mídia, com mais de 700 matérias em jornais, sites e revistas. As etapas de Caraguatatuba e Jundiaí, já são tradicionais no calendário, e a Super Final no Pavilhão do Anhembi colocou o Arena Cross em outro patamar, mostrando a grandeza do nosso esporte.


O Freestyle não foi diferente. As etapas do Porto Novo, em Caraguá, e no estádio de futebol em Ilhabela estavam lotadas. Já o Rio de Janeiro é uma etapa especial na Jeunesse Arena, um espaço top que só recebe grandes eventos, e nós estávamos lá, com presença dos pilotos japoneses Taka Higashino (3 vezes medalha de ouro nos X Games) e Genki Watanabe (3 vezes medalha de prata nos X Games) e do brasileiro Fred Kyrillos, campeão da temporada. Tudo isso comprova o alto nível técnico da competição. As transmissões ao vivo pela SporTV e uma grande estrutura colocaram o freestyle em destaque no País.


Sempre é um desafio realizar grandes eventos no Brasil. Quais foram as maiores dificuldades em 2023?

Depois da pandemia, todos os serviços ficaram mais caros e conseguir manter a mesma qualidade se tornou um desafio. Mas ao longo dos anos, como a empresa investiu muito em estrutura própria, arquibancadas, camarotes, sistema de cronometragem e de iluminação, estrutura de box truss de dois andares, salas climatizadas e transporte próprio, nossos custos são menores do que outros eventos que precisam alugar toda essa estrutura. Isso é um diferencial positivo.


O Arena Cross comemorou 25 anos. Como avalia a evolução do campeonato?

Ele melhorou em todos os aspectos, mais principalmente as pistas, que ficaram mais técnicas, sem comprometer a segurança. Os pilotos que vêm de fora para participar como convidados se surpreendem com a organização e estrutura do evento. Ao longo desses 25 anos nós ganhamos muita credibilidade, e isso nos orgulha.


Alguns comentam que o Arena Cross deveria ter mais etapas. O que você pensa sobre isso?

Tem dois fatores importantes que nos impedem de aumentar o número de provas: o alto custo das etapas e o anúncio constante da criação de um Campeonato Brasileiro de Supercross, que acarretaria problemas no calendário e nos custos das equipes.


A Super Final aconteceu novamente no Pavilhão do Anhembi, em São Paulo (SP), que com certeza traz um brilho maior à prova. O local está mantido para a temporada 2024?

Como eu disse anteriormente, a etapa do Anhembi coloca nosso esporte em outro patamar, mostramos que nosso esporte é grande e pode ser realizado em locais importantes. As três edições realizadas no Anhembi foram maravilhosas e inéditas, mas infelizmente o complexo do Anhembi passa por reformas gigantescas – praticamente derrubaram o pavilhão e estão construindo outro. Então, em 2024 não teremos a etapa lá, mais é bem provável que teremos novidades para São Paulo.


Temos acompanhado a evolução das motocicletas elétricas, que cada vez mais ganham espaço no esporte. Acha que veremos em breve motocicletas elétricas nas provas?

Eu acredito que isso vai demorar. Escuto falar muito pouco das motos de competições elétricas e acredito que o início poderá ser com uma categoria monomarca, com apoio de alguma fábrica, mas não sei precisar quando.


Contribuindo para a renovação do esporte, o Arena Cross apresenta categorias para as minimotos. Como avalia a presença dos pilotos mirins no campeonato?

O Arena Cross, ao longo dos anos, tem contribuído muito para a formação de novos pilotos. As nossas promessas que participam das etapas já enfrentam dificuldades em uma pista muito técnica e adquirem muita experiência. É muito legal para o público ver essas categorias que vão de 5 a 12 anos na pista.


O Arena Cross tem grandes marcas como patrocinadores, como Honda, Kawasaki, KTM, Yamaha, Sportbay e Monster Energy. Como têm sido essas parcerias?

O Arena Cross, além da tradição de 25 anos, oferece muitas oportunidades em seu campeonato. A divulgação das marcas é através das transmissões ao vivo pela SporTV e Arena Live Brasil, que atingem mais de 2 milhões de telespectadores na temporada, e nas mais de 700 matérias em jornais, revistas e sites. O evento também oferece áreas que permitem fidelizar e conquistar novos clientes, através dos camarotes e torcidas VIP, exposição dos produtos dos nossos parceiros para o público presente no evento e ações promocionais com concessionários, revendedores e distribuidores de produtos, além de degustações e as ações sociais que são importantes para a imagem das empresas.


O Arena Cross é um evento com boa organização e que mantém a qualidade e o padrão em todas etapas, fatores que dão segurança para as empresas investirem no evento. Para 2024, teremos a chegada de novas marcas, o que comprova o retorno que temos proporcionado aos nossos parceiros.


Para finalizar, teremos novidades em 2024?

Ainda estamos na fase de planejamento, mas para 2024 o Arena Cross pode ter como novidade a realização da Super Final internacional no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP), além da aquisição de um novo sistema de iluminação de LED, aumentando a luminosidade da pista, além de proporcionar a oportunidade de realizarmos um grande espetáculo de luzes.


O Freestyle pode ter como novidades a realização de novas etapas internacionais no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, e em Salvador, que seria o aumento de duas etapas no campeonato.


Uma conversa muito produtiva com o novo presidente da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM), o  Gustavo Jacob, o Arena Cross Brasil e o Arena Freestyle passarão a ser chancelados como campeonato brasileiro das modalidades, com a CBM reconhecendo os nossos pilotos como campeões brasileiros. É uma parceria importante que só fortalecerá o nosso esporte.


Aproveito para agradecer a confiança de todos os nossos patrocinadores do Arena Cross: Monster, Honda, Pro Honda, Sportbay, Yamaha, Kawasaki, KTM, Husqvarna, Golden Tire, Freestyle Monster, as prefeituras de Caraguatatuba, Jundiaí, São Paulo, Ilhabela e Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Esportes de São Paulo. E parabenizar todos os pilotos participantes dos campeonatos e toda nossa equipe, pela dedicação e seriedade em nossos eventos. Que venha 2024!














































Comments


PRO TORK.jpg
CAPA 344.jpg
capa_bike_273_mai23.png
capa_bike_GUIA23.png
POST REDE SOCIAL.png
BANNER MICHELIN JAN24.jpg
ConjuntoSPrint.gif
unnamed.jpg
unnamed (1).jpg
WhatsApp Image 2024-03-26 at 19.51.04.jpeg
bottom of page