REVISTA DIRT ACTION

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram

Sertões - Yamaha vence primeira etapa

 

Neste domingo (25), os pilotos deixaram a capital Campo Grande e seguiram rumo à Costa Rica, no Mato Grosso do Sul. Foram 487 quilômetros percorridos, sendo 437 de especiais (trechos cronometrados). O catarinense Ricardo Martins foi o mais rápido neste primeiro dia do Sertões 2019. Décimo a largar, o piloto da Yamaha Geração Rally Team conseguiu imprimir um bom ritmo desde o início e completou os 437 km da especial cronometrada em 5h15m47s. Com o resultado o atual campeão do Sertões na categoria Super Production lidera a competição na classificação geral e na sua categoria. 

 

"Agora começou de verdade a prova. Andei rápido, porém tranquilo e procurando não cometer erros, de forma bem segura. Só que em mais de 400 km pequenos erros acontecem, mas nenhum erro grave, nada que pudesse comprometer o resultado. Finalizei o primeiro dia bem, o equipamento está inteiro, resistiu bem. A gente sempre fica preocupado no começo do rally, com medo de dar algum erro, afrouxar alguma coisa, mas meu mecânico é nota mil e a moto finalizou o primeiro dia ilesa. É bom finalizar bem o primeiro dia, mostrar a que viemos, mas ainda temos mais sete dias pela frente, então vamos procurar ficar bem focados nos objetivos. Agora vamos descansar porque amanhã vai ser um dia bem difícil e longo.” afirmou RIcardo (foto acima).

 

Tunico Maciel da Honda (foto abaixo), atual campeão das motos, terminou em segundo lugar na classificação geral, e venceu o dia na categoria Production Aberta. “O início do Sertões é sempre muito complicado porque estamos com os nervos à flor da pele. A minha estratégia foi nos primeiros quilômetros conhecer os reais perigos da planilha e entender como a prova ia andar. Em um certo momento, acelerei forte, mas depois entrei na minha zona de conforto, já que estava com receio devido a alguns carros do público que circulavam na especial”, destaca o mineiro Maciel.

 

 

Gregorio Caselani, companheiro de Tunico, primeiro piloto a largar, concluiu o percurso em terceiro na geral e em segundo na categoria Super Production, seguido de Jean Azevedo, também da Honda. “Não foi como o esperado. A parte técnica ficou muito comprometida. Abri a especial e vinha acelerando bem, quando me deparei com muitos carros dentro do trecho. Também peguei algumas porteiras fechadas, o que atrapalhou o meu desempenho”, lamenta o gaúcho campeão do Sertões em 2016.

 

Apesar de todas as dificuldades encontradas pela equipe Honda Racing, o piloto Bissinho Zavatti, sem dúvidas, foi o que teve o dia mais complicado. Representante da Honda Racing na categoria Rally Brasil, com a CRF 250F, ele bateu o pé esquerdo logo no início da especial e teve de abandonar a disputa, já que foi constatada uma fratura no malévolo. Com apenas cinco quilômetros de prova, bati o pé esquerdo. Estava com muitas dores e, por isso, acionei o apoio para me levar ao hospital. Fui medicado e passei por uma consulta ortopédica para checar a situação, infelizmente foi confirmado que houve a fratura e isso definiu o meu futuro no Sertões deste ano. É a primeira vez que machuco assim e estou muito chateado, mas são coisas de corrida e preciso levantar a cabeça e olhar para frente”, finaliza Bissinho.

 

O bicampeão dos Sertões, Marcelo Medeiros, confirmou seu favoritismo e conservou a liderança entre os quadriciclos, finalizando a primeira especial do maior rally do Brasil, entre Campo Grande e Costa Rica, no Mato Grosso do Sul em 5h44min57seg. Abordo da sua Yamaha YFM 700 #102, o maranhense enfrentou os primeiros 437 quilômetros de trecho cronometrado, com muito trial, lombas, rios e longas retas, o que facilitou seu objetivo de manter a constância e a liderança. “Conseguimos imprimir um ritmo bom, numa etapa rápida em que tudo correu bem. No início da prova, precisei ultrapassar algumas motos, mas não tive problemas, apesar do calor. Agora é revisar o equipamento para a segunda etapa” comentou o quadriciclista.

 

 

 

Nesta segunda-feira (26) os pilotos terão que enfrentar 644 km de percurso, sendo 533 de especial cronometrada. Segundo a organização serão quase 11 horas em cima da moto, largando de Costa Rica e deixando o Mato Grosso do Sul, para chegar em Barra do Garça, no Mato Grosso.

 

Será uma especial bastante longa, com trechos de serra, areia, cascalho, travessia de rios e grandes retas, nas quais será possível alcançar velocidade próxima aos 180 km/h. Lombadas com curvas de nível também farão parte do roteiro e estarão mais presentes nos primeiros 200 km da especial. Na segunda parte, o ritmo de prova mudará e os pilotos terão que ter atenção às muitas zonas de radar, principalmente nas travessias de pontes.

 

Programação e o roteiro completo do Sertões 2019*:

 

26/8 - Segunda-feira 

2ª etapa - Costa Rica (MS) a Barra do Garças (MT)

Deslocamento inicial - 90 km Especial (Cronometrado) - 533 km 

Deslocamento final - 21 km Total do dia - 644 km

 

No segundo dia, a caravana do Sertões entra no estado do Mato Grosso, com uma especial bastante longa, com trechos de serra, areia, cascalho, travessia de rios e retas, nas quais será possível alcançar uma velocidade de 180 km/h. Lombas de curva de nível caracterizarão bem os 200 primeiros quilômetros da etapa. Daí para frente o ritmo de prova mudará e terá zonas de radar nas áreas de pontes.

 

27/8 - Terça-feira 

3ª etapa - Barra do Garças (MT) a São Miguel do Araguaia (GO)

Deslocamento inicial - 111 km Especial (Cronometrado) - 403 km 

Deslocamento final - 250 km Total do dia - 764 km

 

A especial começará rápida e terá como marca principal as depressões de poças secas (DEPS), obstáculos durante a pilotagem. O trajeto, que tem como destino final o Estado de Goiás, incluirá algumas pontes, com vão central, que exigirão cuidados nas passagens e atenção na navegação. Grandes retas também estarão no caminho nesse terceiro dia de competição.

 

28/8 - Quarta-feira 

4ª etapa - São Miguel do Araguaia (GO) a Porto Nacional (TO)

Deslocamento inicial - 69 km| Especial (Cronometrado) - 275 km 

Deslocamento final - 226 km Total do dia - 570 km

 

O quarto dia entrará no Tocantins e será de preparação para a etapa Maratona, na qual os competidores não poderão ter ajuda da equipe na manutenção dos veículos. Será uma especial do início ao fim bem prazerosa, com cascalho, piçarras, gostosa de acelerar e bem técnica. O percurso incluirá estradas de fazendas, algumas mais estreitas, mas sem grandes dificuldades.

 

29/8 - Quinta-feira 

5ª etapa - Porto Nacional (TO) a São Félix do Tocantins (TO) – Maratona

Deslocamento inicial - 142 km Especial (Cronometrado) - 330 km 

Deslocamento final - 3 km Total do dia - 475 km

 

A primeira parte da etapa Maratona será com um visual bem bonito do Jalapão, região marcante na história do Sertões. Porém, o desafio estará no piso de muita “quebradeira”, com erosões e pedras, mais abrasivo do que nos dias anteriores. Haverá passagens em rios, grandes retas com areia pesada e terra batida. A atenção deverá estar na mudança de cores no piso e também na hidratação.

 

30/8 - Sexta-feira 

6ª etapa - São Félix do Tocantins (TO) a Bom Jesus (PI) – Maratona

Deslocamento inicial - 0 km Especial (Cronometrado) - 535 km 

Deslocamento final - 2 km Total do dia - 537 km

 

O dia da última parte da etapa Maratona ficará marcado pela maior especial da história do Sertões, em 27 anos. Será o trecho mais importante da edição, com muita areia, grandes retas, poucas sombras, descidas de serras, bem árido, com todos os tipos de pisos. Destaque para a paisagem durante a passagem pelos cânions de Bom Jesus, no Piauí.

 

31/8 - Sábado 

7ª etapa - Bom Jesus (PI) a Crateús (CE)

Deslocamento inicial - 2 km Especial (Cronometrado) - 325 km 

Deslocamento final - 628 km Total do dia - 955 km

 

Depois de seis dias muito intensos nas especiais, o Sertões 2019 começará a diminuir forte o ritmo nos trechos cronometrados. Porém, será a etapa mais longa da edição em quilometragem, com um deslocamento final de 617 km - um desafio extra para todos os pilotos, que terão que controlar o sono e o cansaço antes da chegada no penúltimo destino, em Crateús (CE).

 

1/9 - Domingo

8ª etapa - Crateús (CE) - Aquiraz (CE)

Deslocamento inicial - 428 km Especial (Cronometrado) - 18 km 

Deslocamento final - 6 km Total do dia - 452 km 

 

O dia iniciará com um deslocamento direto para a especial de 30 km nas dunas de Aquiraz (CE). Será um circuito de 10 km, com três voltas nas areias, uma dinâmica bem diferente das demais especiais. A largada será em linha e a chegada, no Beach Park, famoso parque aquático da região.

 

Total de especiais - 2.858 km 

Total da prova - 4.887 km 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Please reload

capa_bike_230_outubro19.png
capa_dirt_289_outubro19.png
capa_guiadirt_fev19.png
revista_mockup_guia-bike.png
AMERICA SPORTS SITE.jpg
Captura_de_Tela_2019-01-14_às_20.48.14.p
PRO TORK.jpg
capa_moto_146_outubro19.png
banner-dirt.png
Banner Dirt.png
18588_midia_dirtaction_NOVEMBRO_300x100p
REV00_BETA_Banner_Beta_RR200+Xtrainer_A_
REV00_BETA_Banner_Beta_RR200+Xtrainer_B_
BannerAMA.png
300X250.gif
Banner---Revista-Gaya.gif