Yamaha vence Prólogo e larga na frente


Adrien Metger/Yamaha IMS Racing - Foto: Marcelo Maragni

O Sertões 2021, maior rally das Américas, ‘pegou no breu’. E começa neste sábado seu caminho que vai desbravar os sertões de sete estados nordestinos, com nove etapas e mais de 3.600km de desafio. A caravana deixa Pipa, no Rio Grande do Norte, rumo a Patos, na Paraíba, com 235 quilômetros cronometrados em uma região temida pelos competidores: o Seridó. A promessa é de uma especial bastante técnica e trabalhosa, com trechos sinuosos, setores de baixa e média velocidade e trial (piso bastante desgastado com pedras, valetas e buracos). Um cenário que resume bem a cara desta edição, com poucos retões e muita mão de obra para pilotos e navegadores.

A sexta-feira trouxe um aperitivo do que vem pela frente, que colocou os participantes no clima da competição. O prólogo de 10,7km na Usina Estiva testou a caravana com trechos sinuosos, de mata, canaviais e com várias curvas fechadas. E definiu a ordem de largada para a primeira etapa – ser um dos primeiros em cada uma das quatro categorias é sinônimo de fugir da poeira e encontrar um terreno em melhores condições. Uma vantagem preciosa como a água no sertão.

Nos UTVs, que contam com grid recorde, os mais rápidos do dia foram Cristiano Baptista/Robledo Nicoletti, com o Can-Am Maverick X3 da equipe Transmáquinas. Com o mesmo modelo, Vinícius Castro/Rogério Almeida ficaram em segundo, a 6s5. Para os atuais campeões, o Sertões começou com um susto: Deninho Casarini/Ivo Meyer viraram o UTV já nos primeiros metros. Nada sério, mas que exigirá uma prova de recuperação – serão a 76ª dupla a largar para a especial, com a perspectiva de muita poeira e ultrapassagens para fazer.

A disputa nas motos já valeu para a classificação da prova e foi dominada pelo francês Adrien Metge (Yamaha). No ano passado, ele viu frustrada a chance de brigar pela vitória com o diagnóstico positivo para Covid na semana do rally. Agora, vem com tudo para encarar um terreno de predileção. Outro que volta ao maior rally das Américas (lesionado ano passado), o gaúcho Gregório Caselani (Honda) foi o segundo no prólogo.


Gregorio Caselani/Honda - Crédito: Vinicius Cabral / Mundo Press

Entre os quadriciclos, o atual campeão Marcelo Medeiros começou na frente. Por 3s9, levou a melhor sobre o argentino Manuel Andujar, vencedor do Dakar 2021. Em terceiro o polonês Rafal Sonik. O QUE ELES DISSERAM “O prólogo foi bem legal, bastante arenoso. Eu busquei um ritmo forte para tentar ser o mais rápido e poder largar na frente, me concentrar na navegação e no meu trabalho e não ter nada a me perturbar. A prova promete ser muito prazerosa e técnica, é um tipo de terreno em que eu gosto bastante de andar. Muito feliz por poder competir este ano depois de ficar fora em 2020 por causa da Covid” Adrien Metge (Motos) “Muita gente boa vai enfrentar dificuldades por largar mais atrás e, por isso, foi bom ter sido o mais rápido. O UTV está muito bem acertado, a equipe bastante preparada e vamos em busca de nos manter entre os primeiros. Neste ano andamos com o motor e a eletrônica praticamente originais para diminuir a chance de problemas”. Cristiano Batista (UTV) “É bom largar na frente para não pegar poeira, mas o prólogo não decide nada, tem nove dias de prova pela frente. Tenho dois adversários muito fortes – um vencedor do Dakar e um campeão mundial – e meu objetivo é andar sempre próximo para tentar atacar nas últimas etapas”. Marcelo Medeiros (Quads) Resultado Prólogo (10,7km) MOTOS 1) #4 Adrien Metge, (1)MT1, Yamaha WR 450F, 07min04s0 2) #7 Gregório Caselani (2)MT1, Honda CRF450RX, 07min20s0 3) #6 Júlio Zavatti (1)MT2, Honda CRF450RX, 07min23s7 4) #2 Ricardo Martins (3)MT1, Yamaha WR450F, 07min24s2 5) #5 Túlio Malta (2)MT2, Yamaha WR450F, 07min30s0 QUADS 1) #100 Marcelo Medeiros, Yamaha YFM700R, 07min45s5 2) #107 Manuel Andujar, Yamaha Raptor 700, 07min48s9 3) #101 Rafal Sonik, Yamaha Raptor, 08min47s4 UTVs 1) #210 Cristiano Baptista/Robledo Nicoletti, (1)UOP, Can-Am Maverick X3, 07min09s2 2) #230 Vinícius Castro/Rogério Almeida, 1(UT2), Can-Am Maverick X3, 07min15s7 3) #217 Aristides Mafra/Breno Rezende, 1(UT1), Can-Am Maverick X3, 07min15s8 4) #209 Gabriel Varela/Filipe Bianchini, 2(UT1), Can-Am Maverick X3, 07min17s1 5) #267 João Monteiro/Victor Hulo Melo, 3(UT1), Can-Am Maverick X3, 07min17s6 1ª ETAPA – Sábado (14/8) – “Seridó” Tibau do Sul (RN) – Patos (PB). DI – 82,8KM TE – 235,01KM DF – 98,11M TOTAL: 415,93KM

O que é o Seridó? Seridó é um bioma de transição para a Caatinga, que por sua vez é o único bioma 100% brasileiro! A gente pode até dizer que o Seridó é uma pré-caatinga e bem temida pelos competidores do rally, porque além de areia carrega pedras no meio do caminho. Agora, de onde vem esse nome? De acordo com o famoso historiador Luís Câmara Cascudo, Seridó vem da linguagem do povo indígena Tapuia, “ceri-toh” que quer dizer “pouca folhagem” ou “pouca sombra”. Terreno difícil para quem quer correr um rally!

A especial começa em um trecho muito sinuoso, muitas pedras e mata-burros com trechos de média e baixa velocidade. Segue por uma região montanhosa até o trecho final com um pequeno trial. Piso predominante será de cascalho com muitas pedras. O ROTEIRO DO SERTÕES 2021 Prólogo – Sexta 13/08 – 11 km 1ª. ETAPA – Sábado 14/08 – Tibau do Sul (RN) – Patos (PB). DI – 82,8KM TE – 235,01KM DF – 98,11M = TOTAL: 415,93KM 2ª. ETAPA – Domingo 15/08 – Patos (PB) – Araripina (PE). DI – 20,76KM TE – 249,07KM DF – 241,17KM = TOTAL: 511,01KM 3ª. ETAPA – Segunda-feira 16/08 – Araripina (PE) – São Raimundo Nonato (PI) DI – 150,51KM TE – 220,22KM DF – 44,95KM = TOTAL: 415,69KM 4ª. ETAPA – Terça-feira 17/08 – São Raimundo Nonato (PI) – São Raimundo Nonato (PI). DI – 0KM TE – 316,24KM DF – 4,67KM = TOTAL: 320,92KM 5ª. ETAPA (INÍCIO MARATONA) Quarta-feira 18/08 – São Raimundo Nonato (PI) – Xique-Xique (BA) DI – 13,77KM TE – 328,75KM DF – 99,75KM = TOTAL: 442,28KM 6ª. ETAPA (FIM DA MARATONA) Quinta-feira 19/08 – Xique-Xique (BA) – Petrolina (PE). DI – 0KM TE – 328,35KM DF – 147,89KM = TOTAL: 476,25KM 7ª. ETAPA – Sexta-feira 20/08 – Petrolina (PE) – Delmiro Gouveia (AL) DI – 138,84KM TE – 239,98KM DF – 62,29KM = TOTAL: 441,12KM 8ª. ETAPA – Sábado 21/08 – Delmiro Gouveia (AL) – Arapiraca (AL) DI – 9,14KM TE – 152,28KM DF – 87,04KM = TOTAL: 248,47KM 9ª. ETAPA – Domingo 22/08 – Arapiraca (AL) – Tamandaré (PE) DI – 193,47KM TE – 132,47KM DF – 18,05KM = TOTAL: 344,00KM TOTAL DE PROVA: 3.615,67 km TOTAL DE ESPECIAIS: 2.202,37 km

PRO TORK.jpg
capa_dirt_321_jun22.png
capa_moto_178_jun22.png
capa_guiamoto_jan21.png
capa_bike_261_mai22.png
capa_bike_GUIA22.png
new classic (227 px × 227 px).jpg
unnamed.gif
BANNER VEDAMOTORS 321.jpg