• DirtAction

Six Days - Brasileiros entram na disputa


Gustavo Pellin - Fotos Janjão Santiago

Devido a pandemia o Six Days de 2020 passou para este ano. A 95ª edição do International Six Days Enduro vai do dia 30 de agosto a 4 de setembro, nas cidades italianas de Lombardia e Piemonte.



O Brasil vem representado pelos pilotos Bruno Crivilin, Gustavo Pellin, Patrick Capila e Vinicius Calafati, sendo que outros pilotos estão participando da prova, Fernando Alberto Juruna, Maurício Brandão e Guto Constantino. “Estou contente por representar nosso país em mais um Six Days, é muito importante para gente. Andei em todas as especiais com o time, e gostamos muito. O terreno é seco, um pouco mais duro, é parecido com algumas regiões do Brasil, isso favorece a gente”, declarou Crivilin.

Gustavo Pellin. “É um ano em que todos os pilotos estão bem consistentes, o time do brasil está muito bom. Eu sou um piloto um pouco mais velho e espero conseguir ajudar o time a seguir forte até o final. A gente pontuou com três pilotos, mas a minha meta pessoal é conseguir a medalha de ouro, que é andando 10% do piloto mais rápido da minha categoria”, contou.

Vinicius Calafati. “Expectativa muito boa, é a minha primeira participação no Six Days, estou um pouco ansioso para começar, mas estou aqui meio que sem pressão, tô muito feliz por estar aqui. Quero me divertir, e eu sei que se eu me divertir o resultado vai vir”, afirmou.

Patrik Capila. “Vai ser meu segundo Six Days, estou bem feliz por estar junto com o time forte do Brasil. Hoje a gente está podendo brigar com os melhores do mundo novamente. Estou bem preparado, bem motivado para a gente fazer os melhores resultados da seleção brasileira. Vai ser uma prova bem dura, mas vamos nos unir o máximo, para poder ir puxando um ao outro, e estar sempre forte para brigar pelas melhores posições do Six Days”, relatou.


Itália lidera no Dia 1

Um dia de competição bastante seco e empoeirado, e destaque para a Itália com Andrea Verona (GASGAS), Davide Guarneri (Fantic), Thomas Oldrati (Honda) e Matteo Cavallo (TM) que, no final dos cento e noventa e cinco quilômetros, seis dias de teste especial, coletivamente sentaram-se no topo dos resultados da equipe do Troféu Mundial, 52,37 segundos à frente da Espanha, com os EUA logo atrás em terceiro.


Desde o início, as três nações apresentaram performances coletivas impressionantes, com a Itália inquestionavelmente ajudada pelas fortes exibições de Andrea Verona (GASGAS) e Matteo Cavallo (TM). Rápido desde o início, Verona manteve uma pequena liderança individual com apenas um teste especial pela frente, caindo duas vezes no teste final e permitindo que o espanhol Josep Garcia (KTM) continuasse e superasse os resultados individuais com relativa facilidade. Ao fazê-lo, Garcia ajudou a Espanha a garantir um forte segundo lugar.


“Tive uma grande batalha com Josep Garcia durante todo o dia, o que foi muito bom,” explicou Verona no final do dia. “Fiquei na frente no penúltimo teste e, bom, tive uma pequena queda no teste final e perdi tempo. De alguma forma, coloquei um pouco de terra na alavanca do freio dianteiro, o que significa que o freio dianteiro ficou preso por um tempo. Foi muito estranho. Depois choveu e com o travão não muito bom caí de novo. Enfim, estou feliz. Tive um bom dia e a equipe também. ”


Embora a Itália detenha a liderança provisória da equipe no Troféu Mundial no final do primeiro dia, sua vantagem é tudo menos substancial. Menos de um minuto atrás da Itália, os espanhóis Jaume Betriu (KTM), Josep Garcia (KTM), Marc Sans (Husqvarna) e Cristobal Guerrero (Beta) completaram com sucesso o dia, mantendo a pressão sobre seus rivais europeus e conseguindo permanecer à frente dos EUA.


Em terceiro lugar, os EUA, liderados pelo ex-vencedor do ISDE Taylor Robert (KTM), completaram o dia com tempos de teste especiais incrivelmente semelhantes de cada um de seus quatro pilotos. Apesar da queda de Robert no teste de abertura, a equipe parece pronta para lutar com Espanha e Itália durante o evento.


“Senti-me muito bem no primeiro teste, mas caí com bastante força e quebrei um pouco o cotovelo,” explicou Robert após a corrida. “Demorou um pouco para recuperar o ritmo. Josep e Andrea estavam pegando fogo, mas eu tive um dia decente e, mais importante, a equipe do Troféu dos EUA. O teste de enduro não foi fácil em um 450, mas os testes foram ótimos. Teremos uma boa semana de corridas. ”


Atrás dos três primeiros, a França fechou o dia de estreia em quarto lugar, um pouco menos de trinta segundos atrás dos EUA. Com a Suécia em quinto, ajudada por uma corrida impressionante de Mikael Persson (KTM), Canadá, Portugal, Brasil, República Tcheca e Finlândia completaram os dez primeiros.





























Posts recentes

Ver tudo