• DirtAction

Sertões - 1a. Etapa - Bissinho vence na Moto e Bruno/Bortolanza no UTV


Bissinho Zavatti/Honda - Foto Victor Eleutério/Mundo Press

O Sertões 2020 teve início para valer neste sábado (31/10), com vitória de Bissinho Zavatti, da equipe Honda Racing, na geral das motos e também na categoria Moto 2 (antiga Production Aberta). Com 3h49min18s, ele completou o trecho cronometrado de 205 quilômetros de um percurso total de 585, iniciados no Autodrómo Velocitta, em Mogi Guaçu (SP). Ricardo Martins da Yamaha IMS Racing ficou com o segundo lugar, Jean Azevedo da Honda finalizou na terceira colocação, seguido pelo companheiro de equipe, Tunico Maciel com Túlio malta da Yamaha IMS Rally fechando os cinco primeiros. O estreante Thiago Veloso também da Honda, foi mais rápido na categoria Brasil e o décimo colocado na geral. Os resultados são extraoficiais.

Pela primeira vez na competição com a CRF 450RX, Bissinho Zavatti, tetracampeão do Sertões na classe Brasil, mostrou bastante determinação neste primeiro dia. “A especial (trecho cronometrado) foi bem técnica e muito rápida. O chão estava maravilhoso devido à chuva da madrugada. Com isso o grip (aderência) ficou demais. Andei bem, não errei e isso me dá mais confiança para a próxima etapa. Estou muito feliz com a moto e tenho conseguido andar muito fácil”, destaca o paulista de Monte Alto que passa a liderar a categoria Motos na geral.

Heptacampeão do Sertões na geral das motos, Jean Azevedo terminou o dia na segunda posição da categoria Moto 1 (antiga Super Production) e na terceira na classificação entre todas as motocicletas. A diferença para o segundo colocado foi de apenas um segundo. “Foi um dia para começar o Sertões 2020. A prova começou bem lisa, em um piso vermelho e escorregadio. Da metade para o final ficou mais seco, com mais cascalho e trechos muito rápidos, com muitas lombas”, conta o piloto de São José dos Campos (SP), que acelera a CRF 450RX.


Com o mesmo modelo, o atual bicampeão da competição, Tunico Maciel também fez um bom resultado. O mineiro de Lavras concluiu em terceiro na Moto 1 e em quarto na geral. “Começamos o dia com um trecho de radar e depois partimos para a parte de acelerar. Na parte lisa, andei mais cauteloso. Apanhei um pouco da nova marcação da planilha (que vem agora com as marcações da própria organização e que serão entregues a partir da próxima etapa apenas 30 minutos antes da largada). É só o primeiro dia, tem mais seis pela frente”, explica.

Em sua primeira especial do Sertões, Thiago Veloso, recém-chegado ao time oficial da Honda, venceu o dia na categoria Brasil, exclusiva para motos nacionais, com a CRF 250F - modelo que já utilizava nas provas de Enduro. “Foi bom demais, muito bacana, uma experiência incrível. Cometi pequenos erros de navegação em alguns pontos. Não tive quedas e estou feliz com meu desempenho”, ressaltou o piloto de Três Pontas (MG).


A Pro Tork Mult Racing conquistou bons resultados na primeira etapa do Sertões 2020. Rafa Espíndola alcançou o melhor resultado para a equipe, com o segundo lugar na Brasil. “Foi bom, mas sei que posso melhorar ainda mais. Por estar muito tempo sem navegar, acabei cometendo alguns erros nesse sentido, preciso me concentrar mais”, explica o catarinense que é o atual campeão da categoria.


O estreante Emerson Loth foi o quinto colocado na Moto 2. “Também senti dificuldade com a planilha, ainda estou em fase de adaptação, aos poucos tudo vai se acertando. Apesar disso, acredito ter sido um bom desempenho, somei pontos importantes”, afirma o paranaense que é tetracampeão brasileiro de enduro de regularidade.


Emerson Loth/Pro Tork KTM

Já Rami Sfredo terminou logo atrás do colega de equipe na Moto 2, com o sexto lugar. “Estou desde o ano passado sem correr um rally, senti um pouco o ritmo, faltou aquela constância, manter uma velocidade segura o tempo todo, sem oscilar tanto. Vamos evoluindo com o passar das etapas”, explicou o gaúcho, atual campeão na Marathon.

Resultados extraoficiais – Sertões 2020


1º etapa – Geral Motos 1 – #11 – Bissinho Zavatti – 03:49:18 2 – #3 – Ricardo Martins – 03:49:42 3 – #4 – Jean Azevedo – 03:49:43 4 – #1 – Tunico Maciel – 03:49:58

5 – #5 – Tulio Malta – 03:51:08

1º etapa – Moto 1 (antiga Super Production) 1 – #3 – Ricardo Martins – 03:49:42 2 – #4 – Jean Azevedo – 03:49:43 3 – #1 – Tunico Maciel – 03:49:58 4 – #51 – Francisco Oliveira – 04:01:13

1º etapa – Moto 2 (antiga Production Aberta) 1 – #11 – Bissinho Zavatti 2 – #5 – Tulio Malta – 03:51:08 3 – #8 – Bruno Leles – 03:53:18 4 – #10 – Luciano Gomes – 03:53:57 5 – #75 – Emerson Loth – 03:54:25


1º etapa – Brasil 1 – #58 – Thiago Veloso – 03:55:32 – Honda CRF 250F 2 – #33 – Rafael Espindola – 03:59:38 – Honda CRF 250F 3 – #64 – Rodrigo Sallum – 04:04:20 – Honda CRF 250F 4 – #28 – André Bezerra – 04:06:50 – Honda CRF 250F  5 – #52 – João Paulo Fornazari – 04:07:45 – Honda CRF 250F


UTV - O primeiro dia de corrida do Rally dos Sertões começou com o mais jovem campeão da história da categoria UTV, Bruno Varela, conquistando a vitória na primeira das sete etapas que comporão a prova. Com um Maverick X3 XRS da equipe Can-Am Monster Energy, Bruno e o navegador Gustavo Bortolanza completaram os 205km da especial em 3h22min52, com uma margem de apenas 4s sobre a dupla Denísio Nascimento/Idali Bosse, que chegaram no segundo lugar e são os atuais campeões do Rally dos Sertões. Rodrigo Varela/Gunnar Dums e Denísio Casarini Filho/Ivo Mayer completaram os quatro primeiros colocados.


“Começar com vitória é sensacional por que motiva toda a equipe”, disse Bruno Varela. “Demos um grande passo hoje, ser o primeiro na UTV é um resultado espetacular, pois a categoria está realmente muito forte e tem mais de dez duplas com potencial de vencer. Isso é algo raro e faz de hoje um dia especial na nossa carreira”, completou o piloto da equipe Can-Am Monster Energy.


Bruno/Bortolanza- Foto Sanderson Pereira

Resultado 1a. Etapa -UTV


1) Bruno Varela/Gustavo Bortolanza, 3h22min52s

2) Denisio Nascimento/Idali Bosse, a 4s

3) Rodrigo Varela/Gunnar Dums, a 51s

4) Denísio Casarini Filho/Ivo Mayer, a 1min58s

5) Tomas Luza/Robson Schuinka, a 2min03s


Os pilotos partem ainda neste sábado para um longo deslocamento de 580 quilômetros até a Bolha 1, em Brasília (DF). Assim, este domingo (1/11) será de descanso e manutenção para todos. A competição retorna na segunda-feira (2/11).

O Sertões 2020 contará com 4.567 quilômetros no total, sendo 1.842 de especiais, que incluem passagem pelo Distrito Federal e pelos estados de Goiás e Tocantins. A chegada será no dia 7 de novembro, em Barreirinhas (MA). Os cinco primeiros dias da prova valem para o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country 2020.

Roteiro completo do Sertões 2020*

1/11/2020 – domingo

Dia de deslocamento inicial e manutenção Deslocamento até Bolha 1: 580 km 2/11/2020 - segunda-feira 2ª etapa – Bolha 1 / DF a Bolha 2 / GO - 1ª parte Maratona "Renê Melo" Deslocamento inicial: 159 km Trecho especial: 353 km Deslocamento final: 0 km Total: 512 km

No segundo dia da prova, será realizada a parte inicial da Etapa Maratona, batizada de Renê Melo - piloto de carro falecido em maio deste ano que participou diversas vezes do Sertões. Sem poder contar com qualquer auxílio das equipes de apoio, os competidores encaram a especial de 350 km que promete estar entre as mais duras e completas da edição 2020. O trecho começa rápido, com mata-burros e pontes (em algumas delas haverá radar). Ao chegarem em uma fazenda particular, haverá uma subida de serra em trial, na qual será preciso muita atenção.  No alto, diante de um visual incrível, os competidores seguem pelo topo da serra, marcado por lajes de pedra. Saindo da fazenda, as velocidades serão maiores em uma estrada rápida, de pilotagem prazerosa, mas com algum fesh fesh. Haverá travessia por um rio até atingirem uma pista travada e estreita. Nos últimos 50 km da especial, a velocidade volta a subir até chegarem na zona de radar, terminando dentro do parque de apoio. 3/11/2020 - terça-feira

3ª etapa - Bolha 2 / GO a Bolha 3 / GO - 2ª parte Maratona "Paulo Gonçalves" Deslocamento inicial: 0 km Trecho especial: 200 km Deslocamento final: 169 km Total: 369 km

Na segunda parte da Etapa Maratona, o homenageado será o piloto português de motocicleta Paulo Gonçalves, que faleceu após um acidente no Rally Dakar 2020. O dia promete ser bem completo, mesclando velocidades altas, médias e baixas. Apesar dos 10 km iniciais bem velozes, a especial logo entra em uma dura subida de serra, com muitas pedras, depressões, pontos sem visão e trechos sinuosos com abismos dos dois lados. Após muito sobe e desce, na metade da especial, por volta do km 100, haverá uma longa descida. O piso terá fesh fesh e exige cautela nas ultrapassagens. Os competidores passarão por dois grandes rios com pedras e vão encarar uma serra íngreme no final, por região não povoada e solo com muitas pedras e cascalhos. 

4/11/2020 - quarta-feira 4ª etapa - Bolha 3 / GO a Bolha 4 / TO Deslocamento inicial: 26 km Trecho especial: 329 km Deslocamento final: 295 km Total: 650 km

O dia começa muito rápido, no estilo das especiais no Campeonato Mundial de Rally (WRC), e fica mais lento quando entra em um trecho com mata-burros, pedras e pontes - em algumas delas haverá radar. O grande desafio será o trecho de 60 km de areia, no qual a navegação será exigida ao máximo. Após o abastecimento, os competidores enfrentarão caminho travado e pontos de trial, em terreno característico de cerrado. Nos últimos 60 km, curvas de altas velocidades e chão com piçarra. 

5/11/2020 - quinta-feira 5ª etapa - Bolha 4 / TO a Bolha 5 / MA Deslocamento inicial: 99 km Trecho especial: 227 km Deslocamento final: 284 km Total: 610 km

Apesar dos km iniciais travados, a especial imprime altas velocidades em um trecho de areia, ao lado de uma plantação de eucaliptos. O terreno arenoso fica bem mais pesado até a metade do trajeto, quando assume as características do Jalapão, no Tocantins. Os competidores encerram a especial em terreno de piçarra, onde poderão atingir altas velocidades e sentir o prazer da pilotagem.  6/11/2020 - sexta-feira 6ª etapa - Bolha 5 / MA a Bolha 6 / MA Deslocamento inicial: 128 km Trecho especial: 300 km Deslocamento final: 313 km Total: 741 km

A especial já começa com belas paisagens, por estradas de médias velocidades que vão ficando cada vez mais estreitas e travadas. A partir da metade, o trajeto fica mais rápido, com lombas e depressões. Haverá dois trechos com retas muito longas, de altíssimas velocidades, em terreno de piçarra. No final, será preciso mais atenção para completar a especial em trechos arenosos. 

7/11/2020 - sábado 7ª etapa - Bolha 6 / MA a Barreirinhas (MA) Deslocamento inicial: 258 km Trecho especial: 223 km Deslocamento final: 34 km Total: 515 km

A organização do Sertões promete deixar a melhor especial para o final. Com prova na areia, a navegação fará toda a diferença. Após um começo travado em piçarras, o trecho fica arenoso à medida que cruza pequenos riachos, os quais estarão secos na época da prova. Após o abastecimento, praticamente na metade da especial, as dificuldades serão extremas por conta da areia e da parte final com navegação por GPS em dunas. Com muitos way points a serem cobertos, qualquer erro pode ser fatal. O final em Barreirinhas promete ser apoteótico, a imagem a ser gravada nas memórias dos participantes. Chegar ao final do Sertões 2020 já será uma grande vitória. 

TOTAL DO PERCURSO: 4.567 km  TOTAL DE ESPECIAIS: 1.842 km

* O roteiro é fornecido pela organização do evento e está sujeito a alterações. 




REVISTA DIRT ACTION

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram