top of page

Race Test - Yamaha YZ 250 2023


Fotos Idário Café

Faz quase 50 anos desde que a Yamaha venceu seu primeiro Campeonato Mundial de Motocross, em 1973, com o piloto sueco Hakan Anderson, na categoria 250cc (2T). Nesse último meio século, vimos os modelos de competição off-road da empresa evoluírem e revolucionarem o esporte, como a suspensão Monocross (único amortecedor traseiro) nos anos 1970, o retorno dos modelos 4T em 1998, com a YZ 400F, e o motor "invertido" em 2010, solução que permanece em suas motocicletas off-road nos dias atuais.


Nesses anos, a marca conquistou inúmeros títulos mundiais e nacionais, tanto com os modelos 2T como com os 4T. Neste ano, por exemplo, ela é a campeã do supercross e motocross 450cc americano, com o piloto Eli Tomac, além do supercross 250cc, com Christian Craig. Seguindo para trás, os modelos 2T da Yamaha fizeram história no Mundial de Motocross com pilotos como o finlandês Heikki Mikkola, que conquistou os títulos em 1977 e 1978 na 500cc, o francês Jacky Vimond (famoso Pantera Cor de Rosa) em 1986 na 250cc e o holandês John van den Berk em 1987 (125cc) e 1988 (250cc), entre outros. Sem esquecer os campeonatos no AMA Motocross, também com lendas do esporte, como Bob Hannah, Ricky Johnson e tantos outros.


Vale pontuar que a Yamaha é uma das marcas que oferece ao off-road uma ampla linha de motos de motocross e enduro, inclusive para os pilotos mirins, como a lendária PW50. E, diferente das suas concorrentes japonesas, a Yamaha mantém em produção os modelos 2T de 125cc e 250cc, que têm tido maior procura nos últimos anos em todo o planeta, em grande parte pelo baixo custo de manutenção, já que a manutenção dos motores 4T, quando avariados, pesam no bolso. Tanto isso é verdade que a venda dos modelos 2T em alguns países tem se aproximado dos 4T. E ainda existem campeonatos nacionais espalhados pelo planeta exclusivos para as 2T, como o Europeu.


Realmente os modelos 2T fizeram história e aqueles (como eu) que aceleraram essas motocicletas antes do retorno das 4T, chegam a voltar ao passado quando se deparam com os novos modelos 2T, que vêm com itens que não encontramos nos 4T atuais, como pedal de partida e carburador, que tirou o sono de muita gente até encontrar o acerto ideal, com trocas de giclês e regulagens de boia, agulha e parafuso do ar. Ou mesmo com as instalações de acessórios especiais, como palhetas, ou preparações, trabalhando no cabeçote e janelas, entre outras. Lembrando que tendo algum conhecimento de mecânica é possível realizar alguns concertos durante um treino ou corrida, como trocar pistão e/ou anel avariado. É sério, e eu mesmo executei essa tarefa em um dia de prova.


Estaria os modelos 2T conquistando mais fãs? A certeza é que ainda existem muitos amantes desses motores, alguns saudosistas e outros em busca de minimizar o custo na manutenção. Para relembrar essas motocicletas, aceleramos a Yamaha YZ250 2023, modelo que durante muitos anos conquistou títulos nacionais e internacionais. Antes de acompanharmos o seu comportamento na pista, vamos dar uma olhada em suas características e especificações.



Criada em 1974, a YZ250 é um dos modelos off-road mais antigo da Yamaha em produção. A modelo 2023 apresenta mudança somente no gráfico, já que o modelo anterior recebeu algumas modificações interessantes que foram mantidas na 2023 e que vale a pena relembrar.


Os plásticos foram atualizados em 2022, tornando o visual mais moderno e agressivo e também mais próximo aos modelos 4T, isso após sete anos sem receber alterações na sua aparência. Outros itens alterados no ano passado foram o subquadro, tanque de combustível e banco (5 mm mais alto no meio e 6 mm mais baixo na frente). Segundo a Yamaha, isso foi necessário para criar um perfil mais plano e estreito (36 mm), melhorando o posicionamento do piloto, tornando-o mais atualizado e atendendo as mais modernas necessidades de condução. Alguns pilotos de testes no exterior constataram melhor posicionamento no modelo 2T do que num 4T. O novo subquadro também trouxe novos fluxos de ar na caixa do filtro de ar.



O modelo recebeu o sistema de freios da YZ450F, mais eficaz e preciso, facilitando a frenagem com um disco dianteiro de 270 mm – o disco traseiro tem 240 mm de diâmetro. E ainda a suspensão Kayaba SSS, que em 2022 recebeu molas mais rígidas e pequena atualização interna. Para fechar a apresentação, a YZ250 oferece também a série limitada Monster Energy, com gráfico e plásticos diferenciados.


COMPORTAMENTO - Chegou a hora mais esperada, a performance da YZ250 na pista. Para isso contamos com a colaboração do piloto Vinícius Radenzev “Pernilongo” Simões, que acelerou a novidade na tradicional pista de Itupeva (SP), no Centro de Treinamento Kalango Cego, que duas semanas antes deste teste recebeu uma etapa do Estadual de Motocross.


"O visual é bem moderno e agressivo, tendo como plataforma os modelos 4T. A primeira impressão que tive foi que a YZ250 2023 é uma motocicleta bem leve, bem estreita e compacta. E bem na mão, trazendo uma segurança muito grande na pilotagem, além de oferecer muita mobilidade com o assento e tanque de combustível bem plano, permitindo uma condução mais agressiva e controlável.


Falando do motor, ele evoluiu bastante com relação à transferência da baixa para a alta rotação, devido ao novo carburador (Keihin) de 38 mm e ao sistema power jet, que complementa o combustível na hora que é preciso, se tornando um motor com mais média e facilitando a pilotagem. A entrega de potência é bem linear e progressiva, permitindo que pilotos de diversos níveis possam conduzir essa motocicleta, você não vai tomar sustos com a evolução das rotações.


As suspensões da marca Kayaba, tanto a dianteira como a traseira, são bem firmes, e com a dianteira semelhante à da 450F. Isso torna a pilotagem bem controlável. Já a traseira com Kashima Coat resulta em menor atrito e deixa a suspensão mais funcional, oferecendo muita tração. Realmente o sistema transmite muita funcionabilidade, permitindo você pilotar com muita segurança e confiança, mesmo nos grandes saltos e trechos com muitas imperfeições.


Com relação aos freios, posso dizer que eles melhoraram bem com o disco dianteiro de 270 mm e traseiro de 240 mm, possibilitando uma frenagem mais dentro da curva. Gostei bastante dos freios. E por falar em tração, os pneus de alta performance facilitam a pilotagem, pois são seguros e geram muita tração.



Realmente a YZ250 2023 é bem divertida e bem na mão, passando muita confiança e controle. Qualquer que seja seu treino e nível técnico, ela se torna uma diversão, trazendo no final do dia aquela sensação que pilotei muito e deixando o gostinho de quero mais", finaliza Vinícius.


Se você é um fã dos modelos 2T e tem a conta corrente recheada no banco, corra para adquirir a novidade, pois a quantidade disponibilizada não é grande. O preço sugerido é R$ 65.090 (sem frete).





Comments


PRO TORK.jpg
Capa.png
capa_bike_281.png
capa_guia_bike_2024.png
POST REDE SOCIAL.png
ConjuntoSPrint.gif
unnamed.jpg
unnamed (1).jpg
WhatsApp Image 2024-03-26 at 19.51.04.jpeg
bottom of page