top of page

Duplessis vence 10a. etapa do Sertões


Martin Duplessis/Honda - Foto Doni Castilho/MundoPress

Eles passaram rápido, mas conseguiram apreciar as belezas da décima etapa do Sertões BRB. Pilotos e navegadores tiveram como cenário para acelerar nesta terça-feira (6) os cânions do Viana, formação próxima a Bom Jesus, no Piauí, caracterizada pelos paredões rochosos multicoloridos em meio a uma região árida. Não faltou quem dissesse que o desejo, depois de completar o percurso, era fazer meia-volta e conhecer esse tesouro geológico e turístico com calma. A especial em laço de 329 quilômetros - largada e chegada na cidade piauiense - desafiou a caravana com variações de tipo de terreno. Pelo caminho, muito fesh-fesh (areia fina como talco); pedras, erosões, depressões e trechos sinuosos. Um dia que não foi longo, mas exigiu bastante dos competidores, especialmente com o desgaste acumulado em 11 dias de velocidade cortando o Brasil (o prólogo abriu a disputa em Foz do Iguaçu). Nas motos, o argentino Martin Duplessis (Honda CRF 450RX/Honda Racing) se recuperou da penalização de cinco minutos sofrida na véspera como mais rápido em meio aos cânions. Superou por 1min47 o campeão de 2001 Tiago Fantozzi (KTM 450EXC/Podium Racing) que, com um esquema modesto e a moto do irmão, se mostra a cada dia mais à vontade. O líder na geral Bissinho Zavatti (Honda CRF 450RX/Honda Racing) terminou em quarto, a 4min58 de Duplessis. Suficiente para manter uma vantagem de 21min31 sobre o argentino. Já nos UTVs, Rodrigo Luppi e Maykel Justo (Can-Am Maverick/Luppi Racing) mostraram que seguem na briga pelo título ao vencer sua terceira etapa. Terminaram à frente de Bruno Varela e Gustavo Bortolanza (Can-Am Maverick/Varela Racing). O alvo a ser batido, no entanto, é outro integrante da 'Família da poeira': Rodrigo Varela. Ao lado de Matheus Mazzei, foi o terceiro do dia e aparece 11min34 à frente de Luppi/Justo. Uma diferença difícil de ser tirada em condições normais. Mas ainda há muito Sertões pela frente. Para os bicampeões Deninho Casarini/Ivo Mayer (Can-Am Maverick/Can-Am Factory), o dia marcou o abandono definitivo do rally.


Rodrigo Luppi e Maykel Justo venceram pela terceira vez (Foto: Vinícius Branca/Fotop/Sertões)

A décima etapa já marcou um recorde histórico para o Sertões. Com 3.519 quilômetros cronometrados completados nesta terça em Bom Jesus, a edição dos 30 anos já é a maior em total percorrido nas especiais. Número que chegará a 4.381 em Salinópolis, fazendo do maior rally das Américas também o maior rally do mundo. Nesta quarta (7), dia do Bicentenário da Independência, serão mais 219km contra o relógio na décima etapa, batizada de Terra Garrida, com início em Bom Jesus e término em Balsas, no Maranhão (554km com os deslocamentos). Ela é totalmente inédita e reserva para os competidores um início veloz, seguido por estradas estreitas, trilhas, cascalho e erosões, com bastante trabalho para os navegadores. Um percurso desenhado 'no meio do nada'. O que eles disseram: Bissinho Zavatti, líder da geral Motos "Enfrentamos muito fesh-fesh (talco), trechos de quebradeira, com erosões e depressões. Foi minha primeira vez nos cânions e o visual realmente é maravilhoso. Não foi uma especial longa, mas trabalhosa sim. Tenho procurado administrar a vantagem na geral com um ritmo constante e sem riscos". Maykel Justo, vencedor da etapa UTV "Fizemos uma etapa muito redonda, sem erros. Tivemos alguma dificuldade para ultrapassar no talco, a especial foi bastante sinuosa, mas sem grandes dificuldades de navegação. Os cânions são impressionantes". Rodrigo Varela, líder da geral UTV "Foi mais uma etapa muito boa, bastante rápida, tivemos a tração quebrada no fim, mas conseguimos terminar bem. Estamos dando uma controlada, evitando arriscar demais. O objetivo é sempre ficar entre os 10 primeiros da etapa para ter o intervalo de dois minutos na largada da especial seguinte". Etapa 10 - És belo, és forte – 6/9 – Terça-feira Bom Jesus do Piauí - Bom Jesus do Piauí DI -0 TE – 329 DF – 0 TOTAL: 329 Resultados MOTOS 1) #21 Martin Duplessis (ARG), Honda CRF 450RX, (1)MT1, 4h27min19 2) #57 Tiago Fantozzi, KTM 450EXC, (1)MT2, 4h29min02 3) #04 Ricardo Martins, Yamaha WR 450F, (2)MT1, 4h30min06 4) #06, Bissinho Zavatti, Honda CRF 450RX, (1)MT2, 4h32min17 5) #38 Richard Fliter, KTM 450EXC, (3)MT1, 4h37min24 UTV 1) #227 Rodrigo Luppi/Maykel Justo, Can-Am Maverick, (1)UT1, 4h19min47 2 #215 Bruno Varela/Gustavo Bortolanza, Can-Am Maverick, (2)UT1, 4h20min29 3) #216 Rodrigo Varela/Matheus Mazzei, Can-Am Maverick, (3)UT1, 4h23min22 4) #220 André Hort/Idali Bosse, Can-Am Maverick, (4)UT1, 4h24min28 5) #207 Tomas Luza/Robson Schuinka, Can-Am Maverick, (1)UT2, 4h24min32 Classificação geral MOTOS 1) #06 Bissinho Zavatti, Honda CRF 450RX, (1)MT2, 43h26min13 2) #21 Martin Duplessis (ARG), Honda CRF 450RX, (1)MT1, a 21min31 3) #04 Ricardo Martins, Yamaha WR 450F, (2)MT1, a 26min23 4) #19 Gabriel Soares, Honda CRF 450RX, (2)MT2, a 1h25min12 5) #57 Tiago Fantozzi, KTM 450EXC, (3)MT2, a 1h26min57 UTV 1) #216 Rodrigo Varela/Matheus Mazzei, Can-Am Maverick, (1)UT1, 43h57min30 2) #227 Rodrigo Luppi/Maykel Justo, Can-Am Maverick, (2)UT1, a 11min34 3) #206 Gabriel Cestari/Jhonatan Ardigo, Polaris RZR Pro R, (3)UT1, a 34min33 4) #215 Bruno Varela/Gustavo Bortolanza, Can-Am Maverick, (4)UT1, a 34min38 5) #207 Gabriel Varela/Daniel Spolidorio, Can-Am Maverick, (5)UT1, a 44min04 Etapa 11 - Terra Garrida – 7/9 – Quarta-feira Bom Jesus (PI) - Balsas (MA) DI – 57 TE – 219 DF – 278 TOTAL: 554 É na décima primeira etapa do maior rally do mundo que o Sertões se reencontra com as paisagens que imortalizaram o livro de Euclides da Cunha e que inspiram o nome do rally mais brasileiro de todos. Essa “Terra Garrida”, que é seca pra quem vê, mas linda para quem enxerga, que chamamos de Sertão do Brasil.

Em uma especial com muita navegação, estradas estreitas e muitas trilhas, aos poucos o visual de Grande Sertão: Veredas toma conta. Da metade para frente, ela se torna de baixa velocidade, permitindo que os competidores possam admirar os mandacarus que adornam a paisagem icônica.

Chegando em Balsas, no Maranhão, um presságio do que vem pela frente. A cidade de 100 mil habitantes conhecida pela sua grande inovação tecnológica nas lavouras do campo é atravessada pela lendária e controversa BR-230, mais conhecida como Transamazônica, cujo projeto original visava ligar o Nordeste brasileiro ao Peru e ao Equador.













Comments


PRO TORK.jpg
CAPA 344.jpg
capa_bike_273_mai23.png
capa_bike_GUIA23.png
POST REDE SOCIAL.png
BANNER MICHELIN JAN24.jpg
ConjuntoSPrint.gif
unnamed.jpg
unnamed (1).jpg
WhatsApp Image 2024-03-26 at 19.51.04.jpeg
bottom of page