• DirtAction

Campeões comemoram títulos do Brasileiro de Enduro 2021



Bruno Crivilin/Honda - Crédito MundoPress

Os campeões do Brasileiro de Enduro para motocicletas foram definidos nesta segunda-feira (15/11), em Mairiporã (SP), palco da sexta e última rodada dupla da temporada 2021. O grande destaque foi o piloto capixaba Bruno Crivilin, da equipe Honda Racing, que conquistou o tetracampeonato da classificação geral e da categoria E1. A final teve a inédita presença do italiano Alex Salvini, campeão mundial da modalidade em 2013 pela categoria E2.

Além do Super Prime, corrida promocional que abriu a programação do evento no Ginásio de Esportes Florêncio Pereira, o “Sarkizão”, a prova que marcou a entrada de Mairiporã no calendário do Brasileiro de Enduro teve como palco as belas trilhas e paisagens da região da Serra da Cantareira. O circuito montado para as disputas decisivas somou 55 quilômetros, incluindo três especiais (trechos cronometrados). Os pilotos completaram três voltas no percurso neste domingo e feriado (14 e 15/11), sendo que a primeira passagem pelas especiais serviu como reconhecimento.

Além de Mairiporã, o campeonato teve provas nas cidades de Itapema (SC), Patrocínio (MG), Novo Horizonte (SC), Aracruz (ES) e Nova Bréscia (RS). “O Brasil é um país maravilhoso, diverso e enorme, por isso temos condições de fazer provas com todos os tipos de trilhas e possibilidades técnicas. Passamos pelo terreno liso do Rio Grande do Sul, pelo barro de Santa Catarina, pelas pedras de Minas Gerais, pelo chão duro do Espírito Santo e por São Paulo, em uma região que surpreendeu pela qualidade das trilhas”, conta Maurício Brandão, promotor do Brasileiro de Enduro.

Ele lembrou a importância dos patrocinadores e dos responsáveis pela organização local das provas. “Temos parceiros fundamentais para executar o campeonato com essa grandeza. Mesmo com a situação que o mundo vive por conta da pandemia, entregamos uma competição plena e com muita qualidade técnica, realizada com perfeição. É fundamental destacar o suporte dos nossos patrocinadores, apoiadores e parceiros, agradeço demais o empenho de todos. Os organizadores locais também foram importantíssimos para o sucesso do campeonato. Agora vamos colher os frutos de todo esse esforço porque 2022 já está aí. Aguardem boas novidades”, garante Brandão.

O campeão mundial Alex Salvini, entre muitas fotos e autógrafos para os fãs, aprovou a estreia no Brasileiro de Enduro. “Foi uma ótima experiência. Eu não sabia o que esperar, e no fim encontrei um bom evento, com uma organização eficiente, e nível alto entre os competidores. É incrível ver tantas motos por aqui, isso mostra que o enduro no Brasil é visto e gera muita paixão nas pessoas. Umas das melhores coisas foi o pessoal daqui, que é muito apaixonado e caloroso. Quero voltar no futuro”, conclui o italiano.

Confira o que disseram os campeões do Brasileiro de Enduro 2021:

Bruno Crivilin (equipe Honda Racing, vencedor geral e da categoria E1) – “Ter um título nacional já é muito importante, ainda mais na geral. Ser o mais rápido do Brasil novamente é importantíssimo, algo que eu me dedico muito para conquistar. O ano foi bem produtivo, tanto no Brasileiro como no Campeonato Mundial, do qual também participei”.


Vinicius Calafati (equipe Honda Racing, vencedor da categoria E2) – “Cada ano é um ano diferente, tive uma lesão e precisei faltar em uma das provas, o que deixou o campeonato ainda mais competitivo. Consegui voltar ao ritmo, venci a maioria das provas e coroei o trabalho com o bicampeonato da E2. Tenho outros dois títulos nacionais na E3 e mais dois EJ, mas quero mais”.


Vitor Borges Garcia (equipe TM & IRP Team, vencedor da E3) – “Sensação incrível ser campeão brasileiro em uma categoria profissional, meu outro título nacional foi na classe Amador em 2014. Sempre tive esse sonho de ser campeão em uma categoria mais forte, e neste ano a vitória veio. Trabalhei duro o ano todo e esse título não é só meu, mas também do meu pai, da minha família, equipe e namorada. Agradeço a todos e agora é curtir, descansar um pouco e preparar para o campeonato do próximo ano”.

Patrik Capila (equipe MXF, vencedor da EJ) – “Foi um ano difícil, eu estava sem equipe no início e a MXF acreditou em mim, me acolheu. Tive um grande desempenho, minha carreira subiu do zero para 10 no momento que começamos a desenvolver a moto e andar bem na minha categoria e na geral. Estou muito feliz, foi um grande título para mim e agora sou tricampeão brasileiro pela EJ. Tenho muito para conquistar ainda”.

Alexandre Valadares (equipe Q4, vencedor da E4) – “É o meu primeiro título brasileiro, esse ano foi muito disputado. Neste último dia de prova, tomei um tombo logo na primeira especial, quando estava 1min53seg atrás do meu concorrente. Achei que não fosse dar mais. Continuei buscando até confirmar o título, na última especial. Ele ainda estava com uma vantagem de 11 segundos, mas consegui tirar esse tempo, abrir e levar o título. Deu certo, a estratégia foi nunca desistir”.

Gustavo Pellin (equipe Time Line Racing, vencedor da E35) – “Alegria enorme em conquistar esse título, foi um ano um pouco complicado por conta da pandemia, mas no final deu tudo certo. As provas foram muito divertidas e estou muito feliz por ter vencido a E35, meus outros dois títulos nacionais foram na categoria E3. Foi um ano espetacular e ainda fiquei entre os cinco primeiros na geral”.

Adriano de Ávila (equipe Q4, vencedor da E40) – “É o meu segundo título pela E40, estou muito feliz. Foi um ano difícil porque tive lesões, mas segui treinando, trabalhando e graças a Deus deu certo. O campeonato foi muito bom, acredito que em 2022 vamos dar um passo ainda maior”.

Márcio Tazinazzo (equipe HSS, vencedor da E45) – “Este ano foi abençoado, a família HSS foi em praticamente todas as provas. É meu primeiro ano no Brasileiro e ser campeão logo na estreia não tem preço. Ano que vem estaremos juntos novamente”.

Laurindo Zatorski Filho (vencedor da E50) – “Estou muito feliz pelo título de campeão brasileiro. É algo que a gente trabalhou bastante, treinou muito. Tenho que agradecer a minha família, que sempre me apoiou e acompanhou em todas as provas durante o ano. É gratificante mesmo finalizar como campeão, agradeço a todos pelo apoio”.

Manoel Simas (vencedor da E55) – “Estou nisso há 30 anos. O campeonato foi perfeito, todas as provas foram boas, cada uma com a sua característica, e muito bem organizadas. Estarei aqui ano que vem novamente. A emoção do título nos faz sentir vivos”.

Larissa Lelis (vencedora da EF) – “Este ano foi a primeira vez que participei do Brasileiro, comecei em Aracruz. O título foi bastante inesperado, mas estou muito feliz com os resultados. Tive muita garra nessa última prova, porque as trilhas estavam bem pesadas. O Brasileiro é incrível, não tenho nenhuma crítica. Vou continuar no ano que vem e espero que venham mais meninas, para ficar ainda mais divertido”.

Jonas Sawan (vencedor da EAmador Nacional) – “Não foi fácil, este é meu primeiro ano no Brasileiro e tudo é novo, mas a gente sempre busca aprender mais, buscando incentivo dos mais experientes. Ano que vem vou buscar subir de categoria e espero conquistar mais títulos”.

Maurício de Quadros (vencedor da EAmador Importada) – “É meu primeiro título no Brasileiro de Enduro e o ano foi muito legal para mim, principalmente pela experiência com as viagens e as amizades que a gente faz. Estou muito feliz e agradeço a Deus, a minha família e os patrocinadores. Vamos para o ano que vem”.

Jean Zandonadi (equipe Motofire Racing, vencedor da Youth) – “Estou muito feliz com o meu segundo título no Brasileiro, pelo segundo ano seguido, e também é a minha segunda temporada no campeonato. Foi um ano muito bom, fiz boas provas e consegui ganhar todas nesse ano. Estou muito feliz de terminar a temporada da melhor maneira possível”.

Pedro Henrique Spindler (vencedor da Infantil) – “Eu achei muito legal ser campeão brasileiro porque já faz um tempão que estou tentando, desde os seis, sete anos. Agora tenho nove anos. No ano que vem vou para a categoria Cadete”.

Estevão Rangel (equipe BC11, vencedor da Cadete) – “É muita emoção, muito bom ganhar outro título brasileiro. Gosto muito de competir e foi muita alegria vencer. Este ano foi muito bom e gostei bastante das etapas. O meu primeiro título foi em 2019 pela Juvenil e no ano que vem vou subir categoria”.

Danilo Sfalsim (equipe BC11, vencedor da Juvenil) – “A emoção é imensa, o primeiro título brasileiro vai ficar marcado para sempre. Foi conquistado de uma maneira muito especial, porque fiquei invicto. Gostei bastante das provas, do estilo das especiais e de como eu me adequei a cada uma delas”.

Gabriela Azevedo (vencedora da Feminina Kids) – “Foi muito bom, eu treinei bastante para conquistar o meu segundo título na categoria. Eu me dediquei, fico ansiosa sempre em cada corrida e deu certo, venci a maioria das etapas”.

O Campeonato Brasileiro de Enduro 2021 é patrocinado por Honda, copatrocinado por TM Racing, DYVA e KTM e tem o apoio de Motorex, Edgers, Tech Ride, Airoh Helmet, MR Pro Braces, Borilli Racing, Race Tech, Parts 57, Sig Visual, BMP, BMS Racing, Soul MX Trilha, America Sports, Motofire, Dica, MCorse, Bamba Racing, Freeride Spirit, Jeri Adventure Ride, AdvenTour Brasil, Brasil Moto Tour, Café 3Z e Federação dos Cafeicultores do Cerrado. A prova de Mairiporã (SP) conta com realização de Rally Point e apoio de Long One (no Super Prime) e Federação Paulista de Motociclismo.

Campeonato Brasileiro de Enduro 2021

Classificação final (três primeiros)

Geral 1º – Bruno Crivilin – 300 pontos 2º – Vinicius Calafati – 255 pontos 3º – Rômulo Bottrel – 229 pontos


E1 1º – Bruno Crivilin – 300 pontos 2º – Fernando Juruna – 256 pontos 3º – Luciano Paiva – 230 pontos


E2 1º – Vinicius Calafati – 297 pontos 2º – Rômulo Bottrel – 279 pontos 3º – Stevan Pedot – 146 pontos


E3 1º – Vitor Borges Garcia – 281 pontos 2º – Nicolás Rodriguez – 272 pontos 3º – Lucas Dunka – 100 pontos


EJ 1º – Patrik Capila – 290 pontos 2º – Luciano Drumond Rocha – 260 pontos 3º – Felipe Cantu – 239 pontos


E4 1º – Alexandre Valadares – 283 pontos 2º – Flávio Volpi – 281 pontos 3º – Felipe Legarrea – 272 pontos


E35 1º – Gustavo Pellin – 300 pontos 2º – Felipe Wermuth – 267 pontos 3º – Phabulo Calheiros – 212 pontos


E40 1º – Adriano de Ávila – 289 pontos 2º – Rodrigo da Silva – 267 pontos 3º – Luciano de Menezes – 216 pontos

E45 1º – Márcio Tazinazzo – 240 pontos 2º – Fernando Spindler – 190 pontos 3º – Jober Zambialdi – 184 pontos


E50 1º – Laurindo Zatorski Filho – 247 pontos 2º – Júlio César Pereira – 201 pontos 3º – Levi Tesch – 161 pontos


E55 1º – Manoel Simas – 250 pontos 2º – Fabio Filipponi – 52 pontos 3º – Cícero Kuntz – 50 pontos


EF 1º – Larissa Lelis – 100 pontos 2º – Bárbara Neves – 100 pontos 3º – Patrícia Campos – 44 pontos


EAmador Nacional 1º – Jonas Sawan – 252 pontos 2º – Leandro Dias – 222 pontos 3º – Paulo Augusto Telles – 165 pontos


EAmador Importada 1º – Maurício de Quadros – 300 pontos 2º – Leonardo Kauffmann – 246 pontos 3º – Claudiney Couto – 243 pontos

Youth 1º – Jean Zandonadi – 250 pontos 2º – Vinícius Aguilar – 204 pontos 3º – Bruno Massa – 158 pontos


Infantil 1º – Pedro Henrique Spindler – 150 pontos 2º – Pedro Henrique Silva – 144 pontos 3º – João Pedro Grulli – 120 pontos


Cadete 1º – Estevão Rangel – 100 pontos 2º – Davi Freitas – 40 pontos 3º – Theo Cravo – 44 pontos


Juvenil 1º – Danilo Sfalsim – 150 pontos 2º – Pedro Ferro – 132 pontos 3º – Gabriel Konz – 122 pontos

Feminina (Kids) 1º – Gabriela Azevedo – 153 pontos 2º – Kamile Martins – 141 pontos


Resultados (três primeiros) / 6ª prova – Mairiporã (SP)

E1 1º – Bruno Crivilin – 50 pontos 2º – Alex Salvini – 44 pontos 3º – Fernando Juruna – 38 pontos


E2 1º – Vinicius Calafati – 50 pontos 2º – Anderson do Amaral – 40 pontos 3º – Bruno dos Santos – 40 pontos

E3 1º – Vitor Borges Garcia – 47 pontos 2º – Bruno Martins – 45 pontos 3º – Nicolás Rodriguez – 42 pontos


EJ 1º – Gabriel Soares – 47 pontos 2º – Joaquim Antônio de Oliveira Neto – 42 pontos 3º – Patrik Capila – 40 pontos


E4 1º – Alexandre Valadares – 50 pontos 2º – Flávio Volpi – 44 pontos 3º – Aloizio de Assis Filho – 38 pontos

E35 1º – Gustavo Pellin – 50 pontos 2º – Thiago Lopes – 42 pontos 3º – Felipe Wermuth – 42 pontos


E40 1º – Adriano de Ávila – 50 pontos 2º – Ewerson Lorenzi – 44 pontos 3º – Luciano de Menezes – 38 pontos


E45 1º – Willian Menezes – 47 pontos 2º – Márcio Tazinazzo – 45 pontos 3º – Evandro de Oliveira – 42 pontos


E50 1º – Júlio Cesar Pereira – 50 pontos 2º – Laurindo Zatorski Filho – 22 pontos


E55 1º – Manoel Simas – 50 pontos 2º – Valvissir Aguilar – 44 pontos


EF 1º – Larissa Lelis – 50 pontos 2º – Patrícia Campos – 22 pontos


EAmador Nacional 1º - Uyter Rosa Dias – 47 pontos 2º – Nicolas Bueno – 47 pontos 3º – Leandro Furquim Dias – 34 pontos

EAmador Importada 1º – Maurício de Quadros – 50 pontos 2º – Leonardo Kauffmann – 44 pontos 3º – Claudiney Couto – 40 pontos


Youth 1º – Jean Zandonadi – 50 pontos 2º – Vinícius Aguilar – 44 pontos 3º – João Pedro Basilio – 38 pontos


Infantil 1º – Pedro Henrique Spindler – 50 pontos 2º – Pedro Henrique Silva – 44 pontos 3º – João Victor Legarrea – 40 pontos

Cadete 1º – Estevão Rangel – 50 pontos 2º – Rian Vassoler – 44 pontos 3º – Davi Freitas – 40 pontos


Juvenil 1º – Danilo Sfalsim – 50 pontos 2º – Pedro Ferro – 44 pontos 3º – Murilo Cruz – 40 pontos

Feminina (Kids) 1º – Gabriela Azevedo – 50 pontos 2º – Kamile Martins – 44 pontos 3º – Manuella Arnoni – 20 pontos





Posts recentes

Ver tudo
Dirt Gif.gif
PRO TORK.jpg
unnamed.jpg
capa_dirt_314_nov21.png
capa_moto_171_novembro21.png
capa_guiamoto_jan21.png
capa_bike_255_nov21.png
capa_guiabike_jan21.png
PROMO DIRT 26 ANOS.jpg