top of page

Bissinho Zavatti é segundo na geral do Sertões e amplia liderança na categoria Moto 2


Bissinho Zavatti, da equipe Honda Racing, na segunda etapa do Sertões 2022. Crédito: Vinícius Branca/Mundo Press

A caravana da 30ª edição do Sertões chegou a Presidente Prudente, interior paulista, após 536 quilômetros percorridos neste domingo (28/8) – incluindo 303 de especiais (trechos cronometrados). A segunda etapa do roteiro teve início em Umuarama (PR) e o piloto Bissinho Zavatti, da equipe Honda Racing, foi o segundo mais rápido na geral das motos, com a CRF 450RX. O desempenho rendeu outra vitória na categoria Moto 2, na qual ele ampliou vantagem na liderança da tabela.

Desta forma, o melhor brasileiro na prova avança para o segundo lugar na classificação geral das motos, a 3min04seg do francês Adrien Metge. “Fiz uma grande prova hoje, estou contente com o resultado. É preciso trabalhar etapa a etapa e saber administrar resultado. Estou preparado para o que vem pela frente, porque a situação só vai apertar”, declara Zavatti, atual bicampeão da Moto 2 e natural de Monte Alto (SP).

Outro destaque da equipe Honda Racing foi o argentino Martin Duplessis, terceiro colocado do dia na geral das motos e segundo colocado na classe Moto 1. Ele ocupa as mesmas posições nas brigas pelos respectivos títulos. “Foi um dia muito bom, consegui resultados importantes para mim e para a equipe, já que estou perto dos primeiros colocados. A etapa foi rápida, com muitas lombas e navegação mais exigente que o primeiro dia. Vou com tudo para a próxima etapa”, garante Duplessis, pela primeira vez na tradicional prova.

Ele também pilota a CRF 450RX, bem como o veterano Jean Azevedo, heptacampeão e maior vencedor na geral das motos do Sertões. O paulista de São José dos Campos está em sexto lugar na classificação geral e ocupa a quarta colocação na tabela da Moto 1. “A etapa foi novamente rápida, com muita lomba, e essa característica vai acompanhar a gente até Costa Rica (MS, na quinta etapa do roteiro). Foi apenas o segundo dia, muita água ainda vai rolar. Tem muita dificuldade pelo caminho, bastante coisa para acontecer”, lembra.

Com o desempenho da segunda etapa, o estreante Gabriel Soares “Tomate” está em quarto lugar na classificação da Moto 2, além de ocupar a décima posição na classificação geral da prova. “O segundo dia foi mais longo, gostei da especial. Tive alguns problemas no caminho, mas sei que isso faz parte do rally e me deixa cada vez mais experiente. Agora vou descansar, tem o terceiro dia pela frente e estou muito animado”, afirma o mineiro, que acelera a CRF 450RX.

Na classe Brasil, exclusiva para motos nacionais, o capixaba Tiago Wernersbach venceu mais uma etapa. “Deu tudo certo no segundo dia, a moto se saiu super bem e eu fiz uma boa navegação. Havia bastante referência na parte final da especial, e eu não levei nenhuma penalização nem cometi erros de direção, não tive nenhum atraso”, avalia o piloto, atual campeão da categoria com a CRF 250F.

Nesta segunda-feira (29/8), a terceira etapa sai de Presidente Prudente (SP) com destino a Campo Grande (MS). Serão 786 quilômetros de percurso, 307 deles de especiais. O cenário da prova irá mudar com as fazendas pecuárias e sinais de lagoas, características do Pantanal. As estradas serão estreitas, porém rápidas e arenosas. No deslocamento final, será permitido transportar as motocicletas nos veículos de apoio. Com 14 etapas, além da histórica 30ª edição, o Sertões 2022 comemora o bicentenário da independência do Brasil. A disputa teve início em Foz do Iguaçu (PR), no dia 27 de agosto, e será encerrada em Salinópolis (PA), no dia 10 de setembro. O roteiro da prova é formado por 7.202 quilômetros e foi apontado como o maior do mundo em trechos contra o relógio: 4.378 km no total. O Sertões também possui categorias para quadriciclos, UTVs e carros.

A equipe Honda Racing de Rally é patrocinada por Pro Honda, ASW, Alpinestars, Borilli Racing, DID e Seguros Honda.

Resultados 30º Sertões (extraoficiais)

Classificação após duas etapas (cinco primeiros)

Geral Motos 1 - Adrien Metge #1 - 06:22:51 2 - Bissinho Zavatti #6 - 06:25:56 - Honda CRF 450RX 3 - Martin Duplessis #21 - 06:26:57 - Honda CRF 450RX 4 - Ricardo Martins #4 - 06:28:39 5 - Tulio Malta #5 - 06:35:54 6 - Jean Azevedo #3 - 06:38:40 - Honda CRF 450RX 10 - Gabriel Soares #6 – 06:45:59 - Honda CRF 450RX 22 - Tiago Wernersbach #9 - 07:09:37 – Honda CRF 250F

Moto 1 1 - Adrien Metge #1 - 06:22:51 2 - Martin Duplessis #21 - 06:26:57 - Honda CRF 450RX 3 - Ricardo Martins #4 - 06:28:39 4 - Jean Azevedo #3 - 06:38:40 - Honda CRF 450RX 5 - Marco Antonio Pereira #14 - 06:41:36


Moto 2 1 - Bissinho Zavatti #6 - 06:25:56 - Honda CRF 450RX 2 - Tulio Malta #5 - 06:35:54 3 - Tiago Fantozzi #57 - 06:43:37 4 - Gabriel Soares #6 – 06:45:59 - Honda CRF 450RX 5 - João Paulo Fornazari #10 - 06:49:36


Brasil 1 - Tiago Wernersbach #9 - 07:09:37 – Honda CRF 250F 2 - Adão Lemos #13 - 07:57:44 - Honda CRF 250F 3 - Marcelo Massanori #48 - 11:37:38


Etapa 2 (cinco primeiros)

Geral Motos 1 - Adrien Metge #1 - 04:01:10 2 - Bissinho Zavatti #6 - 04:02:58 - Honda CRF 450RX 3 - Martin Duplessis #21 - 04:04:02 - Honda CRF 450RX 4 - Ricardo Martins #4 - 04:04:29 5 - Tiago Fantozzi #57 - 04:08:31 9 - Jean Azevedo #3 - 04:12:44 - Honda CRF 450RX 11 - Gabriel Soares #6 – 04:19:22 - Honda CRF 450RX 21 - Tiago Wernersbach #9 - 04:30:55 – Honda CRF 250F

Moto 1 1 - Adrien Metge #1 - 04:01:10 2 - Martin Duplessis #21 - 04:04:02 - Honda CRF 450RX 3 - Ricardo Martins #4 - 04:04:29 4 - Richard Fliter #38 - 04:11:58 5 - Marco Antonio Pereira #14 - 04:12:25 6 - Jean Azevedo #3 - 04:12:44 - Honda CRF 450RX

Moto 2 1 - Bissinho Zavatti #6 - 04:02:58 - Honda CRF 450RX 2 - Tiago Fantozzi #57 - 04:08:31 3 - Tulio Malta #5 - 04:09:54 4 - Gabriel Soares #6 – 04:19:22 - Honda CRF 450RX 5 - João Paulo Fornazari #10 - 04:23:21


Brasil 1 - Tiago Wernersbach #9 - 04:30:55 – Honda CRF 250F 2 - Adão Lemos #13 - 05:11:38 - Honda CRF 250F 3 - Marcelo Massanori #48 - 05:50:03

Confira a roteiro do Sertões 2022:

3ª etapa – 29/8 (segunda-feira) Presidente Prudente (SP) a Campo Grande (MS) Deslocamento inicial – 135 km Especial – 307 km Deslocamento final – 344 km Total do dia: 786 km

O cenário muda com as fazendas pecuárias e sinais de lagoas características do Pantanal. As estradas são estreitas, porém rápidas e arenosas. No deslocamento final, será permitido transportar as motocicletas nos veículos de apoio.

4ª etapa – 30/8 (terça-feira) Campo Grande (MS) a Costa Rica (MS) Deslocamento inicial – 64 km Especial – 382 km Deslocamento final – 31 km Total do dia: 477 km

Inédita no Sertões, a especial traz várias estradas de cascalho. Será rápida no início, porém, a partir do km 50, haverá trial pesado e estradas estreitas até o km 200, local do abastecimento. O percurso continua por uma serra e, nos últimos 30 km, apresenta algumas lombas altas, o que exigirá bastante atenção.


5ª etapa – 31/8 (quarta-feira) Costa Rica (MS) a Barra do Garças (MT) Deslocamento inicial – 87 km Especial – 527 km Deslocamento final – 23 km Total do dia: 637 km

Do Mato Grosso do Sul ao Mato Grosso, a quinta etapa traz evento promocional em Alcinópolis (MS). A especial será bastante dura, com estradas estreitas e arenosas. A cada 50 quilômetros, as características da prova irão mudar - e não haverá zonas longas de radar no extenso percurso. O preparo físico será primordial para cumprir o desgastante dia.


6ª etapa – 1/9 (quinta-feira) Barra do Garças (MT) a São Félix do Araguaia (MT) - 1ª parte Etapa Maratona 1 Deslocamento inicial – 67 km Especial – 523 km Deslocamento final – 92 km Total do dia: 682 km

Será a maior especial da história do Sertões e a parte inicial da primeira Etapa Maratona, na qual não é permitido auxílio mecânico externo aos pilotos. Longas retas, extremamente rápidas, e muitas deps (depressões causadas por poça seca) marcam o início do caminho, que fica bastante travado nos últimos 300 km. O final do dia terá muita areia, travessia de rios e uma travessia por balsa.


7ª etapa – 2/9 (sexta-feira) São Félix do Araguaia (MT) a Palmas (TO) - 2ª parte Etapa Maratona 1 Deslocamento inicial – 13 km Especial – 143 km Deslocamento final – 425 km Total do dia: 581 km

Após uma travessia de balsa pelo Rio Araguaia, os competidores descobrirão a Ilha do Bananal, local que conta com mais de 40 aldeias indígenas. É a menor especial do roteiro, mas que representa o final da primeira Etapa Maratona do Sertões 2022 – ou seja, os pilotos seguem sem contar com as equipes de apoio até o término da etapa. As características do local lembram a região do Jalapão, com piso arenoso. No deslocamento final até Palmas, será permitido transportar as motocicletas nos veículos de apoio.


Dia de descanso – 3/9 (sábado) Palmas (TO)

O dia de descanso é obrigatório por questões de regulamentos internacionais pela quantidade de quilômetros rodados em sequência.


8ª etapa – 4/9 (domingo) Palmas (TO) a Mateiros (TO) - 1ª parte Etapa Maratona 2 Deslocamento inicial – 98 km Especial – 423 km Deslocamento final – 0km Total do dia: 521 km

Após o dia de descanso, a prova continua desafiadora com o início da segunda Etapa Maratona, que traz uma seleção das melhores trilhas da região do Jalapão. A maioria dos trechos com pontes de madeira ficou fora para evitar zonas de radar. A especial começa rápida, com piso de piçarra, mas logo em seguida vai para as areias – característica que predomina até o final. Haverá travessia do Rio Prata, muita areia e exigência na navegação.


9ª etapa – 5/9 (segunda-feira) Mateiros (TO) a Bom Jesus (PI) - 2ª parte Etapa Maratona 2 Deslocamento inicial – 0 km Especial – 409 km Deslocamento final – 101km Total do dia: 510 km

Etapa longa, que traz a parte final da segunda Etapa Maratona. O dia segue pelo mix das melhores trilhas do Jalapão, com direção ao Nordeste. Os últimos 80 km da especial são inéditos, ainda com muita areia. 10ª etapa – 6/9 (terça-Feira) Bom Jesus (PI) a Bom Jesus (PI) Deslocamento inicial – 0 km Especial – 329 km Deslocamento final – 0 km Total do dia: 329 km

Depois de dois dias em formato Maratona, as equipes de apoio permanecem em Bom Jesus (PI), tendo mais tempo para realizar a manutenção nos equipamentos. A especial terá roteiro em laço, começando pela bela região dos Cânions do Viana, muita “quebradeira” e terreno pesado de areia. Com apenas 2 km de deslocamentos, no final do dia, a etapa será marcada por muita navegação e quase 100% de trecho cronometrado.


11ª etapa – 7/9 (quarta-feira) Bom Jesus (PI) a Balsas (MA) Deslocamento inicial – 57 km Especial – 219 km Deslocamento final – 278 km Total do dia: 554 km

Apesar de já ter passado por Balsas em várias ocasiões, o Sertões reservou especial inédita para o trecho com direção à cidade maranhense. A especial começa com travessia de riacho e cenário de fazendas, na qual há predomínio do solo de piçarras. Haverá subida de serra, com um grande platô, onde o caminho começa a travar. Areia, muita navegação e médias velocidades também formam a especial apontada como uma das mais técnicas da edição 2022. 12ª etapa – 8/9 (quinta-feira) Balsas (MA) a Imperatriz (MA) Deslocamento inicial – 12 km Especial – 156 km Deslocamento final – 238 km Total do dia: 406 km

A especial inédita começa rápida e dentro de pequenas lavouras de soja. Entra em trecho de serra, com muitas subidas e descidas, e segue com a mesma característica até o final.


13ª etapa – 9/9 (sexta-feira) Imperatriz (MA) a Paragominas (PA) Deslocamento inicial – 35 km Especial – 358 km Deslocamento final – 70 km Total do dia: 463 km

Boa parte da especial será realizada em uma fazenda. O percurso será um dos mais travados do roteiro, mas dos mais bonitos também. Os primeiros 80 km sobem uma serra travada, misturando plantação de eucalipto com pastagens, e vão exigir muita navegação. Haverá deslocamentos pequenos para travessias de rodovias e pontos de altas velocidades, com passagens por vilas, até chegar no trecho mais travado do dia para acessar o Pará. 14ª etapa – 10/9 (sábado) Paragominas (PA) a Salinópolis (PA) Deslocamento inicial – 2 km Especial – 126 km Deslocamento final – 226 km Total do dia: 354 km

Apesar de ser o último dia, a especial será “de gente grande” e mistura terreno com areia e pedra. Passa por áreas agrícolas e trechos de matas e fica bastante técnica na parte final, que é muito bonita. As equipes de apoio aguardam para comemorar no fim da especial, e todos poderão aproveitar a paisagem paradisíaca no litoral do extremo norte do Brasil.


TOTAL DO PERCURSO: 7.202 km TOTAL DE ESPECIAIS: 4.378km







Comments


PRO TORK.jpg
CAPA 345.png
capa_bike_281.png
capa_guia_bike_2024.png
POST REDE SOCIAL.png
ConjuntoSPrint.gif
unnamed.jpg
unnamed (1).jpg
WhatsApp Image 2024-03-26 at 19.51.04.jpeg
bottom of page